fbpx

Con­for­me o levan­ta­men­to da Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Inse­mi­na­ção Arti­fi­ci­al (Asbia), 16.696.269 doses de sêmen foram comer­ci­a­li­za­das nos pri­mei­ros três tri­mes­tres do ano

Vendas de sêmen crescem 30,1% de janeiro a setembro de 2020, aponta Asbia

A Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Inse­mi­na­ção Arti­fi­ci­al (Asbia) apre­sen­ta, nes­ta sema­na, o Rela­tó­rio Index ASBIA com o fecha­men­to dos dados do ter­cei­ro tri­mes­tre de 2020. Reco­nhe­ci­do como o melhor rela­tó­rio seto­ri­al pro­du­zi­do pela Cen­tro de Estu­dos Avan­ça­dos em Eco­no­mia Apli­ca­da (Cepea) da Esco­la Supe­ri­or de Agri­cul­tu­ra Luiz de Quei­roz (Esalq), da Uni­ver­si­da­de de São Pau­lo (USP), o Index Asbia é refe­rên­cia gra­ças à pro­fun­di­da­de, ampli­tu­de e acu­rá­cia das infor­ma­ções dis­po­ni­bi­li­za­das.

O novo rela­tó­rio reve­la que um total de 4.146 muni­cí­pi­os bra­si­lei­ros uti­li­za­ram a inse­mi­na­ção arti­fi­ci­al (IA) duran­te o perío­do – repre­sen­tan­do qua­se 75% de todos os muni­cí­pi­os do país.

O docu­men­to tam­bém mar­ca o lan­ça­men­to do Selo Asbia/Cepea, que chan­ce­la a qua­li­da­de das infor­ma­ções com­par­ti­lha­das em rela­ção ao setor da gené­ti­ca bovi­na e inse­mi­na­ção arti­fi­ci­al. O íco­ne pas­sa­rá a ser incluí­do nas publi­ca­ções com dados con­fir­ma­dos pelas duas ins­ti­tui­ções, que atu­am jun­tas no sen­ti­do de pro­mo­ver a uti­li­za­ção da tec­no­lo­gia pelo setor.

Cres­ci­men­to
Con­for­me o levan­ta­men­to, 16.696.269 doses de sêmen foram comer­ci­a­li­za­das de janei­ro a setem­bro de 2020, abran­gen­do as ven­das dire­tas para cli­en­tes, expor­ta­ções e pres­ta­ções de ser­vi­ço. Um aumen­to de 30,1% em rela­ção ao mes­mo perío­do de 2019, quan­do 12.837.333 doses foram ven­di­das.

“A cada nova edi­ção do Index Asbia, esta­mos segu­ros em afir­mar que o pro­du­tor de lei­te e de car­ne real­men­te acor­dou para o impac­to do melho­ra­men­to gené­ti­co na sua ati­vi­da­de. A gené­ti­ca é o úni­co insu­mo per­ma­nen­te, de ele­va­do cus­to-bene­fí­cio e que atua ao mes­mo tem­po pelo aumen­to da pro­du­ção e pela redu­ção de cus­tos”, afir­ma o pre­si­den­te da asso­ci­a­ção, Már­cio Nery.

Para o cor­te, o aumen­to das comer­ci­a­li­za­ções no perío­do de janei­ro a setem­bro foi de 42%. No lei­te, os núme­ros foram cres­cen­tes a cada tri­mes­tre – no pri­mei­ro, 4%; no segun­do, 15% e, por fim, esta nova edi­ção do Index ASBIA apon­ta um aumen­to de 18%, refe­ren­te ao ter­cei­ro tri­mes­tre.

O rela­tó­rio tam­bém apon­tou que, de janei­ro a setem­bro des­te ano, foram pro­du­zi­das 9.832.375 doses de sêmen no país. No mes­mo perío­do do ano pas­sa­do, a pro­du­ção foi de 7.457.403, repre­sen­tan­do um aumen­to de 32%.

“Che­ga­mos a um con­so­li­da­do de 30% e, mes­mo com o impac­to nega­ti­vo da logís­ti­ca sobre as expor­ta­ções, esta­re­mos, ao final do ano, pró­xi­mos da mar­ca his­tó­ri­ca de 25 milhões de doses de sêmen”, ava­lia Nery.

Em rela­ção à gené­ti­ca de raças de cor­te, foram cole­ta­das 8.058.776 doses de sêmen no acu­mu­la­do de 2020 – no mes­mo perío­do do ano pas­sa­do, o núme­ro ficou em 6.128.548. Já nas raças de lei­te, a cole­ta subiu de 1.328.855 para 1.773.599 doses.

Fon­te: Asbia