Valor bruto da produção chega a R$ 518,1 bi - Balde Branco

A SPA-Secre­ta­ria de Polí­ti­ca Agrí­co­la do Minis­té­rio da Agri­cul­tu­ra, Pecuá­ria e Abas­te­ci­men­to esti­ma, com base em dados do mês pas­sa­do, que o Valor Bru­to da Pro­du­ção Agro­pe­cuá­ria (VBP) em 2016 che­gue a R$ 518,1 bilhões. Na série ini­ci­a­da em 1989, esse é o ter­cei­ro melhor resul­ta­do. No entan­to, em rela­ção ao ano pas­sa­do, hou­ve uma dimi­nui­ção de 2,6%.

“O prin­ci­pal moti­vo é uma que­da de 21,2% na pro­du­ção de milho por cau­sa da seca”, diz o coor­de­na­dor-geral de Estu­dos e Aná­li­ses da SPA, José Gar­cia Gas­ques. A safra total do grão pas­sou de 84,7 milhões de tone­la­das em 2015 para 66,7 milhões de tone­la­das este ano. O milho segun­da safra foi o que mais con­tri­buiu para essa dimi­nui­ção. Por con­ta da que­da na pro­du­ção, o VBP do cere­al caiu 7,1%.

Na pecuá­ria, as mai­o­res redu­ções foram da car­ne suí­na (-12,5 %), e lei­te (-12,1%). No caso des­ses dois pro­du­tos, a com­bi­na­ção pre­ços mais bai­xos e pro­du­ção menor levou à que­da no faturamento.

Mes­mo com um VBP total 2,6% menor do que em 2015, o fatu­ra­men­to ain­da é con­si­de­ra­do ele­va­do, segun­do Gas­ques. Isso se deve a um gru­po rela­ti­va­men­te peque­no de pro­du­tos, mas que repre­sen­tam 54% do VBP total. São a soja (+2,9%), o café (+13,6 %), o fei­jão (+8,8%), o tri­go (+26,6%), a bana­na (+40,8%); a bata­ta-ingle­sa (+24,3%) e a maçã (+13,7%).

Na aná­li­se por região, o Sul per­ma­ne­ce na lide­ran­ça do valor bru­to da pro­du­ção agro­pe­cuá­ria (R$ 153,2 bilhões), segui­do do Cen­tro-Oes­te (R$ 142,7 bilhões), Sudes­te (R$ 140,8 bilhões), Nor­des­te (R$ 42,3 bilhões) e Nor­te (R$ 31 bilhões). Entre os esta­dos, São Pau­lo e Mato Gros­so estão na fren­te. Depois vêm Para­ná, Minas Gerais e Rio Gran­de do Sul. Estes cin­co esta­dos res­pon­dem por 63% do VBP brasileiro

Rolar para cima