Vacas felizes produzem leite mais nutritivo, diz Universidade dos EUA

Foi demons­tra­do que infu­sões diá­ri­as com um pro­du­to quí­mi­co comu­men­te asso­ci­a­do a sen­ti­men­tos de feli­ci­da­de aumen­tam os níveis de cál­cio no san­gue das vacas holan­de­sas e no lei­te das vacas de Jer­sey que aca­ba­ram de dar à luz. Quem des­co­briu isso foi a Uni­ver­si­da­de de Wis­con­sin-Madi­son, nos Esta­dos Unidos. 

Enquan­to a sero­to­ni­na melho­rou o esta­do geral de cál­cio em ambas as raças, isso ocor­reu de manei­ra opos­ta. As vacas holan­de­sas tra­ta­das apre­sen­ta­ram níveis mais altos de cál­cio no san­gue, mas menos cál­cio no lei­te (com­pa­ra­do aos con­tro­les). O opos­to foi ver­da­dei­ro em vacas Jer­sey tra­ta­das e níveis mais altos de cál­cio no lei­te foram par­ti­cu­lar­men­te evi­den­tes no dia 30 da ama­men­ta­ção, suge­rin­do um papel da sero­to­ni­na na manu­ten­ção dos níveis duran­te a lactação. 

“Ao estu­dar duas raças, pude­mos ver que a regu­la­ção dos níveis de cál­cio é dife­ren­te entre as duas”, diz Lau­ra Her­nán­dez. “Tam­bém deve­mos ter em men­te que o tra­ta­men­to com sero­to­ni­na não teve efei­to sobre a pro­du­ção de lei­te, a inges­tão de ali­men­tos ou os níveis hor­mo­nais neces­sá­ri­os para a ama­men­ta­ção”, completa. 

Os pró­xi­mos pas­sos são inves­ti­gar o meca­nis­mo mole­cu­lar pelo qual a sero­to­ni­na regu­la os níveis de cál­cio e como isso varia entre as raças. “Gos­ta­ría­mos tam­bém de tra­ba­lhar na pos­si­bi­li­da­de de usar a sero­to­ni­na como medi­da pre­ven­ti­va para hipo­cal­ce­mia em vacas lei­tei­ras”, con­ti­nua Lau­ra Her­nán­dez, “que per­mi­ti­ria aos pro­du­to­res de lei­te man­ter a lucra­ti­vi­da­de de seus negó­ci­os, garan­tin­do ao mes­mo tem­po que as vacas per­ma­ne­cem sau­dá­veis e pro­du­zem lei­te nutri­ti­vo”, con­clui a especialista. 

Fon­te: Uni­ver­si­da­de de Wis­con­sin-Madi­son (EUA)

Rolar para cima