Uréia: Cuidados no uso para evitar um efeito devastador no rebanho - Balde Branco

Dose correta e adaptação dos animais é a garantia para evitar casos de intoxicação aguda. E, diante de qualquer problema, é preciso chamar um profissional capacitado

INTOXICAÇÃO

Uréia: Cuidados no uso

para evitar um efeito devastador no rebanho

A ureia proporciona várias vantagens na alimentação de ruminantes, mas erros na dosagem fornecida podem acarretar sérios danos à saúde animal. Veja como evitar esse desfecho na propriedade 

Erick Henrique

A ureia é uti­li­za­da na pecuá­ria lei­tei­ra como um suple­men­to de die­tas lei­tei­ras, tra­zen­do diver­sos bene­fí­ci­os. Seu uso, porém, mere­ce uma série de cui­da­dos para evi­tar pro­ble­mas à saú­de dos ani­mais. E esses cui­da­dos refe­rem-se sobre­tu­do à adap­ta­ção das vacas e à dosa­gem ade­qua­da des­se com­po­nen­te, pois, em caso de dosa­gem incor­re­ta, pode ocor­rer sério pro­ble­ma de into­xi­ca­ção. Esse tema foi foco de estu­dos apre­sen­ta­dos pela Uni­ver­si­da­de Fede­ral do Rio Gran­de do Sul (UFRGS), em 2014, duran­te o semi­ná­rio para alu­nos de pós-gra­du­a­ção em Ciên­ci­as Vete­ri­ná­ri­as, sobre trans­tor­nos meta­bó­li­cos dos ani­mais domésticos.

Vale o escla­re­ci­men­to de que a into­xi­ca­ção nos rumi­nan­tes não é pela ureia, mas sim pela amô­nia gera­da por meio da fer­men­ta­ção rumi­nal. Ape­sar de ser espo­rá­di­ca nos reba­nhos, a pes­qui­sa da UFRGS reve­la que a into­xi­ca­ção por amô­nia apre­sen­ta qua­dro clí­ni­co drás­ti­co, rápi­do, e, na mai­o­ria das vezes, devas­ta­dor, poden­do levar bovi­nos à mor­te em até 30 minu­tos após a sua ingestão. 

Segun­do as infor­ma­ções levan­ta­das no semi­ná­rio da UFRGS, cons­ta­tou-se que a mai­o­ria dos sur­tos de into­xi­ca­ção por amô­nia ocor­re em ani­mais não adap­ta­dos que inge­ri­ram, logo no pri­mei­ro dia, altas doses de ureia na die­ta. Con­tu­do, têm sido des­cri­tos casos de into­xi­ca­ção em bovi­nos ade­qua­da­men­te adap­ta­dos à ureia, mas que rece­be­ram subi­ta­men­te duas ou três vezes mais a dose des­sa substância.

Para continuar lendo, assine nossa revista

Rolar para cima