[vc_row][vc_column][vc_column_text]Empre­sa sedi­a­da em Cambé/PR aten­de pecu­a­ris­tas que bus­cam efi­ci­ên­cia pro­du­ti­va e eco­no­mia com o uso de novas tec­no­lo­gi­as

O tron­co de con­ten­ção é um equi­pa­men­to indis­pen­sá­vel na lida do gado, pois nele são rea­li­za­dos os prin­ci­pais mane­jos da fazen­da, a exem­plo da inse­mi­na­ção arti­fi­ci­al, cas­tra­ção, iden­ti­fi­ca­ção, cas­que­a­men­to, vaci­na­ção e ver­mi­fu­ga­ção, garan­tin­do mai­or segu­ran­ça ao homem e ani­mal. E assim como em todos os seto­res pro­du­ti­vos este equi­pa­men­to pas­sa por cons­tan­tes evo­lu­ções. Nes­ta quar­ta revo­lu­ção tec­no­ló­gi­ca, onde tudo se tor­na mais sim­ples, auto­ma­ti­za­do e conec­ta­do, a Açô­res Tron­cos e Balan­ças pre­pa­rou novi­da­des para os visi­tan­tes da Expo­si­ção Agro­pe­cuá­ria e Indus­tri­al de Lon­dri­na, a Expo­lon­dri­na, que acon­te­ce de 5 a 14 de abril, no Para­ná.
A empre­sa que já havia lan­ça­do o pri­mei­ro tron­co de con­ten­ção com con­tro­le remo­to do mun­do auto­ma­ti­zou as prin­ci­pais linhas de pro­du­tos, a Pre­mium III e Ame­ri­ca­no Pre­mium III, além de inte­grar o con­cei­to de IoT (inter­net das coi­sas) ao pro­ces­so de pesa­gens.
Sem fios, as duas bar­ras de pesa­gem inte­li­gen­tes ins­ta­la­das na estru­tu­ra conec­tam-se dire­ta­men­te com com­pu­ta­do­res, tablets, smartvs ou smartpho­nes, por meio do apli­ca­ti­vo ACR Mane­jo Con­trol. O pro­ces­so bati­za­do de BPB 085 IOT Con­nec­ti­on dis­pen­sa o uso de balan­ça ele­trô­ni­ca e leva o con­tro­le de desem­pe­nho para a pal­ma das mãos.
“Tere­mos dois mode­los do BPB 085 IOT Con­nec­ti­on, um com as duas bar­ras de pesa­gem inte­li­gen­tes e outro com ape­nas uma, que será conec­ta­da à outra por um fio. Essa tec­no­lo­gia, inclu­si­ve, per­mi­tiu bara­te­ar o cus­to do tron­co de con­ten­ção”, expli­ca Gabri­el Hauly, dire­tor da Açô­res Balan­ças e Tron­cos.
Mes­mo com o novo dis­po­si­ti­vo, a empre­sa con­ti­nua for­ne­cen­do as balan­ças ele­trô­ni­cas de pro­du­ção pró­pria ACR HEAVY DUTY e ACR HEAVY DUTY FULL, resis­ten­tes a água e impac­tos de qual­quer tipo e que supor­tam 1,5 milhão de pesa­gens para ela­bo­ra­ção de rela­tó­ri­os com­ple­tos.
Os tron­cos de con­ten­ção da Açô­res saem de fábri­ca total­men­te auto­ma­ti­za­dos, mas os mode­los anti­gos tam­bém podem ser adap­ta­dos. Além da IoT, os equi­pa­men­tos pas­sa­ram a incor­po­rar fun­ci­o­na­men­to ele­tro-hidráu­li­co, con­tro­le remo­to ou bra­ço arti­cu­la­do que gira em 180º.
A linha Pre­mium III e Ame­ri­ca­no Pre­mium III são indi­ca­das a pecu­a­ris­tas que pos­su­em reba­nho de até 5.000 cabe­ças. “Com a auto­ma­ti­za­ção dos equi­pa­men­tos, é pos­sí­vel mane­jar 120 ani­mais por hora ou mais”, garan­te Hauly.
Os tron­cos são resis­ten­tes a pan­ca­das, não pos­su­em sali­ên­ci­as pon­ti­a­gu­das, os para­fu­sos são auto­tra­van­tes, o asso­a­lho é anti­der­ra­pan­te e per­mi­tem aces­so faci­li­ta­do a todo o cor­po do gado. São pro­je­ta­dos para pro­mo­ver efi­ci­ên­cia, bem-estar ani­mal e segu­ran­ça no tra­ba­lho, resul­tan­do na cer­ti­fi­ca­ção NR 31.

Açô­res no Bra­sil

A mar­ca nas­ceu em 1956, quan­do Anwar Hauly deci­diu adqui­rir a empre­sa de um gru­po ale­mão. À épo­ca, exis­ti­am ape­nas a Açô­res e uma outra com­pa­nhia do seg­men­to de pesa­gem.
Em sua ter­cei­ra gera­ção, a com­pa­nhia com sede em Cam­bé (PR) foi diri­gi­da pelo filho de Anwar, Eder Jor­ge Hauly, e, hoje, é coman­da­da pelo neto de Anwar, Gabri­el Hauly, de ape­nas 36 anos.
Pos­sui fili­ais em San­ta Inês, no Mara­nhão; Vár­zea Gran­de (MT), Cam­po Gran­de (MS) e Goi­â­nia (GO), além de pos­suir repre­sen­tan­tes e assis­tên­cia téc­ni­ca em todo País. Amé­ri­ca Lati­na, Áfri­ca e Euro­pa são mer­ca­dos de expor­ta­ção da Açô­res, que tam­bém ven­de tec­no­lo­gia de pon­ta para os Esta­dos Uni­dos.
Inves­te pesa­do em pes­qui­sa e desen­vol­vi­men­to, o que resul­tou no pri­mei­ro tron­co de con­ten­ção móvel metá­li­co do Bra­sil (Tron­co Metá­li­co Móvel Impac­to) e o pri­mei­ro com con­tro­le remo­to do mun­do (Gran Smart Pri­me). Tam­bém é a pri­mei­ra empre­sa a uti­li­zar as tec­no­lo­gi­as de Rea­li­da­de Aumen­ta­da e Ócu­los 3D no agro­ne­gó­cio bra­si­lei­ro.
“Pos­suí­mos balan­ças ele­trô­ni­cas, cur­rais e tron­cos de con­ten­ção para todos os ciclos de pro­du­ção da pecuá­ria, incluin­do o sis­te­ma de Inte­gra­ção-Lavou­ra-Pecuá­ria-Flo­res­ta”, des­ta­ca Hauly, dire­tor da Açô­res, que regis­tra cres­ci­men­to de 30% ao ano, segun­do infor­ma.
Em par­ce­ria com a Pro­gra­ma Lei­lões, a empre­sa deve levar, em 2019, con­teú­do e equi­pa­men­tos de alta per­for­man­ce para mais de 500 expo­si­ções e lei­lões em todo o País.

Mais infor­ma­ções: www.balancasacores.com.br[/vc_column_text][/vc_column][vc_column][/vc_column][/vc_row]

Rolar para cima