Torneio leiteiro termina com cinco recordes - Balde Branco

A que­bra de cin­co recor­des de pro­du­ção de lei­te mar­cou o tor­neio rea­li­za­do na Mega­lei­te 2017, em Belo Horizonte-MG 

Esta edi­ção da Mega­lei­te mar­cou uma nova fase do Tor­neio Lei­tei­ro Naci­o­nal de Giro­lan­do, que ago­ra pas­sa a pre­mi­ar tam­bém as fême­as com mai­or pro­du­ção de lei­te cor­ri­gi­do para sóli­dos. Tra­ta-se de uma infor­ma­ção fun­da­men­tal para a cadeia do agro­ne­gó­cio lei­te, pois há uma rela­ção dire­ta entre o ren­di­men­to indus­tri­al e a pro­por­ção de sóli­dos do lei­te. Mui­tos lati­cí­ni­os já boni­fi­cam melhor os pro­du­to­res rurais que entre­gam lei­te com mai­or teor de sólidos.

A pri­mei­ra gran­de cam­peã de pro­du­ção de sóli­dos da Mega­lei­te foi a vaca meio-san­gue ‘154 FIV San­chez da Anta’, do expo­si­tor Antô­nio Gil­ber­to de Cas­tro. Ela pro­du­ziu 261,157 kg/leite, com média de 87,052 kg/leite. As aná­li­ses de sóli­dos fica­ram por con­ta do labo­ra­tó­rio de aná­li­ses da UFMG-Uni­ver­si­da­de Fede­ral de Minas Gerais.

Já na tra­di­ci­o­nal pre­mi­a­ção para as mai­o­res pro­du­ções abso­lu­tas foram regis­tra­dos cin­co novos recor­des no even­to, sen­do um da raça Giro­lan­do, dois na raça Guze­rá e outros dois no Guzo­lan­do. No 28° Tor­neio Lei­tei­ro Naci­o­nal de Giro­lan­do, a nova recor­dis­ta e gran­de cam­peã foi a vaca meio-san­gue ‘Que­li­nha Eve­rett FIV 2B’, de Ale­xan­dre Lopes Lacer­da. Ela pro­du­ziu 300,420 kg/leite e média de 100,140 kg/leite, sagran­do-se tam­bém cam­peã meio-sangue.

Na raça Guze­rá, uma das novas recor­dis­tas de pro­du­ção é ‘Nava­lha Boa Lem­bran­ça’, que con­quis­tou o títu­lo de cam­peã da cate­go­ria vaca jovem ao pro­du­zir 144,830 kg/leite, com média de 48, 270 kg/leite. O ani­mal per­ten­ce a Edu­ar­do Pal­mé­rio Cunha. Na cate­go­ria Vaca Adul­ta, a cam­peã e nova recor­dis­ta é ‘Babi JF’, do expo­si­tor José Figuei­re­do, ao pro­du­zir 168,790 kg/leite, com média de 56, 263 kg/leite.

Já no Guzo­lan­do, a nova recor­dis­ta é a vaca ‘Haja Sula’, de Agos­ti­nha Naves Agui­ar, que se sagrou cam­peã ao pro­du­zir 220,640 kg/leite, com média de 73,547 kg/leite. Com essa pro­du­ção, ela bateu o recor­de naci­o­nal da raça. Outro recor­de de Guzo­lan­do foi na cate­go­ria vaca jovem. ‘Ban­dei­ra Sula’, tam­bém da expo­si­to­ra Agos­ti­nha, pro­du­ziu 190, 930 kg/leite e média de 63,643 kg/leite.

Outra raça que teve Tor­neio Lei­tei­ro na Mega­lei­te foi a Gir Lei­tei­ro. A cam­peã da 9ª Expo­si­ção Inter­na­ci­o­nal do Gir Lei­tei­ro (fei­ra que inte­grou a pro­gra­ma­ção da Mega­lei­te 2017) foi ‘Duque­sa FIV’, de Léo Macha­do, com a pro­du­ção de 204,860 kg/leite e média de 68,286 kg/leite.

Rolar para cima