Troféu Agroleite abre votação para escolha dos melhores da cadeia leiteira - Balde Branco

Um dos des­ta­ques da pro­gra­ma­ção, que teve diver­sos atra­ti­vos para o públi­co em geral foi o tor­neio lei­tei­ro, que teve a par­ti­ci­pa­ção de 15 ani­mais e 11 pro­du­to­res, além de expo­si­ção de bovi­nos de vári­as raças, leilões

Torneio leiteiro é destaque da 17ª edição da Feicampo, em Taubaté

Da Reda­ção

Depois de pas­sar por dois anos sus­pen­sa em fun­ção das res­tri­ções impos­tas pela pan­de­mia, a 17ª Fei­cam­po – Fei­ra de Peque­nos e Gran­des Ani­mais e Imple­men­tos Agrí­co­las, orga­ni­za­da pelo Sin­di­ca­to Rural de Tau­ba­té, acon­te­ceu nes­se final de sema­na, entre quin­ta-fei­ra e domin­go, atrain­do mais de 10 mil pes­so­as ao recin­to de expo­si­ções da entidade.

A reto­ma­da, segun­do o pre­si­den­te do Sin­di­ca­to, Sebas­tião Mau­ro Medei­ros, foi mar­ca­da por mudan­ças na pro­gra­ma­ção visan­do aten­der à expec­ta­ti­va dos pro­du­to­res que dese­ja­vam que o even­to fos­se mais vol­ta­do para a valo­ri­za­ção da pro­du­ção rural.

“Foram mudan­ças mui­to bem acei­tas não só pelos pro­du­to­res, mas tam­bém pelo públi­co”, afir­ma Medei­ros, res­sal­tan­do tam­bém que o apoio e par­ce­ria da Coo­pe­ra­ti­va de Lati­cí­ni­os do Médio Vale do Paraí­ba (Come­vap), empre­sas, enti­da­des e órgãos públi­cos foi fun­da­men­tais para que o even­to vol­tas­se a acon­te­cer nes­te ano.

Tor­neio Lei­tei­ro — Um dos des­ta­ques da pro­gra­ma­ção, que teve diver­sos atra­ti­vos para o públi­co em geral foi o tor­neio lei­tei­ro, que teve a par­ti­ci­pa­ção de 15 ani­mais e 11 pro­du­to­res, além de expo­si­ção de bovi­nos de vári­as raças, lei­lões, expo­si­ção e ven­da de maqui­ná­ri­os e pro­du­tos agro­pe­cuá­ri­os de vári­as marcas.

Dife­ren­te­men­te da mai­o­ria das com­pe­ti­ções, nas quais tra­di­ci­o­nal­men­te a dis­pu­ta é fei­ta pelo mai­or volu­me de lei­te pro­du­zi­do por ani­mal, o tor­neio lei­tei­ro da Fei­cam­po já ado­ta há pelo menos três edi­ções, o cri­té­rio de regu­la­ri­da­de, ou seja, ven­ce o ani­mal que mais se apro­xi­ma das fai­xas de pro­du­ção esta­be­le­ci­das pela comis­são orga­ni­za­do­ra, no caso 20, 25 ou 30 kg/dia, nas quais os pro­pri­e­tá­ri­os ins­cre­vem seus ani­mais de acor­do com seu poten­ci­al produtivo.

Ven­ce­do­ras — A ven­ce­do­ra do tor­neio foi a vaca Bai­a­na, de Renan Cam­pos (foto), de Nati­vi­da­de da Ser­ra, que foi ins­cri­ta na fai­xa de 30 kg/dia, soman­do uma pro­du­ção de 75,02 kg e uma dife­ren­ça de ape­nas 0,2g a mais que os 75 kg pre­vis­tos para essa fai­xa, no total de cin­co ordenhas.

O pro­pri­e­tá­rio da vaca cam­peã é estre­an­te nes­se tipo de com­pe­ti­ção e dis­se que ven­cer foi a rea­li­za­ção de um sonho. “Sou pro­du­tor de lei­te há ape­nas cin­co anos e sonha­va com isso des­de cri­an­ça”, afir­mou Cam­pos, que vem de uma famí­lia tra­di­ci­o­nal na pecuá­ria de leite.

Cam­pos con­tou que seu bom desem­pe­nho é resul­ta­do do que apren­deu no pro­gra­ma Pró-Lei­te, do Ser­vi­ço Naci­o­nal de Apren­di­za­gem Rural (Senar), pro­mo­vi­do em par­ce­ria com o Sin­di­ca­to Rural. “Um dos módu­los foi a for­mu­la­ção da die­ta da vaca lei­tei­ra e isso foi fun­da­men­tal para que eu me pre­pa­ras­se ade­qua­da­men­te”, afirma.

Na segun­da colo­ca­ção, ficou Ser­ra Negra, vaca de pro­pri­e­da­de do pre­si­den­te do Sin­di­ca­to, Sebas­tião Mau­ro de Medei­ros, ins­cri­ta na fai­xa de 20 kg/dia, que tota­li­zou 50,56 kg, com a dife­ren­ça de 0,56g a mais em rela­ção à pre­vi­são de 50 kg.

A vaca For­ta­le­za, ins­cri­ta pelo seu pro­pri­e­tá­rio Titi­co, de Reden­ção da Ser­ra, na fai­xa de 25kg, con­quis­tou a ter­cei­ra colo­ca­ção, atin­gin­do 61,92 kg de lei­te em cin­co orde­nhas, com uma dife­ren­ça de 0,58g a menos que a meta para a fai­xa de 62,50kg.