Tereza Cristina: anunciada a nova ministra da Agricultura - Balde Branco

Por José Luiz Tejon Megi­do, mem­bro do Con­se­lho Cien­tí­fi­co Agro Sus­ten­tá­vel (CCAS) e Diri­ge o Núcleo de Agro­ne­gó­cio da ESPM.

O pre­si­den­te elei­to Jair Bol­so­na­ro anun­ci­ou nes­ta quar­ta-fei­ra (7) a depu­ta­da fede­ral Tere­za Cris­ti­na (DEM-MS) como minis­tra da Agri­cul­tu­ra. Ela será a segun­da mulher a coman­dar a pas­ta. A diver­si­da­de e o apoio de todo o setor do agro con­du­ziu a depu­ta­da fede­ral para o pos­to de minis­tra da Agri­cul­tu­ra, Pecuá­ria e Abas­te­ci­men­to, pois ela pos­sui talen­tos para tal.

Esti­ve com Tere­za Cris­ti­na no even­to Cam­po Gran­de Expo 2018 par­ti­ci­pan­do de um deba­te, e con­fes­so que gos­tei das pala­vras e da visão da então deputada.

Algo que me atraiu tam­bém foi poder per­ce­ber que a senho­ra Tere­za Cris­ti­na é um ser com inte­li­gên­cia emo­ci­o­nal. Sim, a cons­ci­ên­cia emo­ci­o­nal. Pre­ci­sa­mos ter no novo gover­no seres huma­nos com o dom de serem fir­mes, porém con­ci­li­a­do­res, sen­sí­veis e apre­sen­ta­rem o impor­tan­tís­si­mo dom da amabilidade.

A nova minis­tra terá for­tes lutas inter­nas para tra­var no cam­po da con­ti­nui­da­de do que foi bem ini­ci­a­do pelo minis­tro Blai­ro Mag­gi e seu secre­tá­rio exe­cu­ti­vo Eumar Novacki.

Foco no resul­ta­do e com­pli­an­ce seve­ro, con­vo­can­do todo o setor empre­sa­ri­al nas ques­tões sani­tá­ri­as. Da mes­ma for­ma, diá­lo­go e nego­ci­a­ções inter­na­ci­o­nais com cli­en­tes de todo o mun­do, onde de novo, a intui­ção e a sen­si­bi­li­da­de farão toda a diferença.

O Bra­sil sig­ni­fi­ca segu­ran­ça ali­men­tar para o pla­ne­ta e jamais deve­mos nos envol­ver em con­fli­tos e na geo­po­lí­ti­ca de blo­cos, onde ali­men­to tem sido usa­do como arma militar.

A minis­tra Tere­za Cris­ti­na deve se apro­xi­mar dos super­mer­ca­dos, das asso­ci­a­ções, como a Abras (Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Super­mer­ca­dos) e a ABIA (Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra das Indús­tri­as da Ali­men­ta­ção), pois reu­ni­das somam qua­se um tri­lhão de reais e sig­ni­fi­cam os mai­o­res cli­en­tes da agro­pe­cuá­ria brasileira.

Que a ciên­cia e a tec­no­lo­gia – jun­to a Embra­pa – sejam a aber­tu­ra para a edu­ca­ção. Que haja um novo papel ace­le­ra­dor do conhe­ci­men­to, do design thin­king, da mulher no agro, do jovem e da sus­ten­ta­bi­li­da­de, o bem-estar ani­mal, a suces­são e a atra­ção do empre­en­de­do­ris­mo para este cam­po e a cida­de, que reu­ni­dos for­mam uma agro-sociedade.

Que a minis­tra Tere­za Cris­ti­na pre­pa­re o minis­té­rio atu­an­do em toda a cadeia pro­du­ti­va e esti­mu­le o coo­pe­ra­ti­vis­mo agro­pe­cuá­rio e de crédito.

Inte­li­gên­cia emo­ci­o­nal, um talen­to fun­da­men­tal para os bons e sau­dá­veis deba­tes e negociações.

Rolar para cima