Os minerais na quantidade adequada são fundamentais para a saúde das vacas em produção, em várias fases – lactação, período de transição, pós-parto e reprodução

NUTRIÇÃO

Suplementação mineral:

Importância para todas as fases da criação de bovinos de leite

A presença de minerais na dieta dos animais leiteiros é uma necessidade para garantir saúde e produtividade

Gisele Dela Ricci* 

A pro­du­ção lei­tei­ra pos­sui defi­ci­ên­ci­as quan­do fala­mos em suple­men­ta­ção mine­ral e seus refle­xos na qua­li­da­de do lei­te, desem­pe­nho pro­du­ti­vo e repro­du­ção. A inges­tão de mine­rais duran­te a pro­du­ção lei­tei­ra é mui­to variá­vel e pos­si­vel­men­te, em algu­ma cate­go­ria, pode não aten­der às neces­si­da­des nutri­ci­o­nais ade­qua­das, mes­mo com o rece­bi­men­to de suple­men­ta­ções com volu­mo­sos e concentrados.

Os mine­rais são clas­si­fi­ca­dos em macro­mi­ne­rais (entre eles estão cál­cio, fós­fo­ro, sódio, clo­ro, potás­sio, mag­né­sio e enxo­fre), cujo con­su­mo em gra­mas é neces­sá­rio. E, entre os micro­mi­ne­rais, estão cobal­to, cobre, iodo, fer­ro, man­ga­nês, molib­dê­nio, selê­nio e zin­co, que devem ser con­su­mi­dos em mili­gra­mas ou micro­gra­mas na dieta.

Os níveis de exi­gên­cia de macro e micro­e­le­men­tos mine­rais vari­am de acor­do com o tipo, o nível da pro­du­ção lei­tei­ra, a ida­de (bezer­ras, novi­lhas e vacas), a con­di­ção sexu­al, a ração, a adap­ta­ção do ani­mal, o nível e a for­ma quí­mi­ca do mine­ral e suas rela­ções com outros nutri­en­tes inse­ri­dos nas die­tas para esses bovinos. 

As exi­gên­ci­as para pro­ces­sos como cir­cu­la­ção, diges­tão e res­pi­ra­ção (manu­ten­ção), repro­du­ção, pro­du­ção e cres­ci­men­to são dife­ren­tes quan­to ao nível de aces­so aos mine­rais. Na fase do ter­ço final de ges­ta­ção, as neces­si­da­des mine­rais aumen­tam em vir­tu­de do cres­ci­men­to fetal e pro­du­tos da con­cep­ção como pla­cen­ta, úte­ro e flui­do fetal.

Para continuar lendo, assine nossa revista

Rolar para cima