Solução para tratar "Febre do leite" em vacas leiteiras é a novidade da Biogénesis Bagó - Balde Branco

Poli­cal­ci­na For­te traz alta con­cen­tra­ção do com­ple­xo cál­cio, mag­né­sio e gli­co­se, e é ide­al para tra­tar o dis­túr­bio metabólico

 
 
 
 
 
 

Solução para tratar “Febre do leite” em vacas leiteiras é a novidade da Biogénesis Bagó para o mercado de saúde animal 

A Bio­gé­ne­sis Bagó, empre­sa de bio­tec­no­lo­gia espe­ci­a­li­za­da no desen­vol­vi­men­to, pro­du­ção e comer­ci­a­li­za­ção de pro­du­tos para saú­de e pro­du­ti­vi­da­de ani­mal, traz para o Bra­sil a Poli­cal­ci­na For­te. A solu­ção inje­tá­vel pos­sui altas con­cen­tra­ções de cál­cio, mag­né­sio e gli­co­se, for­man­do um com­ple­xo capaz de tra­tar a “Febre do Lei­te”, dis­túr­bio meta­bó­li­co que aco­me­te as vacas lei­tei­ras no perío­do de transição.

O pro­ble­ma é cau­sa­do pelo dese­qui­lí­brio da absor­ção de cál­cio no orga­nis­mo dos bovi­nos quan­do há aumen­to con­si­de­rá­vel da neces­si­da­de des­se mine­ral. A situ­a­ção pode ocor­rer ain­da duran­te a ges­ta­ção, quan­do o orga­nis­mo da vaca des­lo­ca o cál­cio para o feto e no perío­do que ante­ce­de o par­to para a pro­du­ção de colos­tro e de leite.

“É impor­tan­te con­si­de­rar que o que cau­sa os mai­o­res danos e pre­juí­zos ao pro­du­tor é a ocor­rên­cia sub­clí­ni­ca, pois resul­ta em menor inges­tão de maté­ria seca no iní­cio da lac­ta­ção. Isso dei­xa as vacas mais pro­pen­sas ao desen­vol­vi­men­to de outras doen­ças, tais como sín­dro­me da vaca caí­da, reten­ção de pla­cen­ta, pro­lap­so de úte­ro, des­lo­ca­men­to de abo­ma­so, bai­xo desem­pe­nho repro­du­ti­vo e mas­ti­tes. Para pre­ve­nir esta casuís­ti­ca reco­men­da-se uso pre­ven­ti­vo do suple­men­to no pós-par­to ime­di­a­to”, expli­ca o zoo­tec­nis­ta e geren­te de Pro­du­tos e Mar­cas da Bio­gé­ne­sis Bagó Bra­sil, Pedro Hespanha.

Segun­do ele, a Poli­cal­ci­na For­te é uma solu­ção que veio para aju­dar o pro­du­tor rural nes­se pro­ble­ma bem conhe­ci­do nos plan­téis de lei­te e que ocor­re, prin­ci­pal­men­te, no cha­ma­do perío­do de tran­si­ção, com­pre­en­di­do entre as três sema­nas pré-par­to e as três sema­nas pós-par­to. É quan­do a vaca tem difi­cul­da­de de mobi­li­zar o cál­cio e o mag­né­sio neces­sá­ri­os para a pro­du­ção do colos­tro e para enfren­tar esse perío­do de alto estresse.

“A Poli­cal­ci­na For­te traz alta con­cen­tra­ção do com­ple­xo cál­cio, mag­né­sio e gli­co­se para tra­tar a ‘Febre do lei­te’, pro­por­ci­o­nan­do uma res­pos­ta clí­ni­ca ime­di­a­ta e rápi­do retor­no à pro­du­ção. A alta quan­ti­da­de de gli­co­se ofe­re­ce mai­or dis­po­ni­bi­li­da­de ener­gé­ti­ca e a for­mu­la­ção com mag­né­sio é essen­ci­al para a absor­ção do cál­cio em casos agu­dos e crô­ni­cos”, expli­ca Hespanha.

“Essa nova solu­ção com­ple­men­ta o port­fó­lio da linha de suple­men­tos lei­te e pas­sa a inte­grar o pro­gra­ma de apoio téc­ni­co para pecuá­ria lei­tei­ra desen­vol­vi­do pela Bio­gé­ne­sis Bagó cha­ma­do ‘Bal­de de Solu­ções Lei­te’. Tra­ta-se de um arqui­vo por­tá­til que con­tem­pla cards com mais de 20 solu­ções de sani­da­de, per­for­man­ce e repro­du­ção na pecuá­ria lei­tei­ra, que ser­vem como base para que a nos­sa equi­pe ela­bo­re um pro­gra­ma sani­tá­rio per­so­na­li­za­do, cons­truí­do com base no his­tó­ri­co da tría­de epi­de­mi­o­ló­gi­ca da fazen­da (agen­te, ambi­en­te e hos­pe­dei­ro). Des­sa for­ma, é pos­sí­vel ado­tar uma estra­té­gia pre­ven­ti­va, dimi­nuin­do pos­sí­veis impac­tos econô­mi­cos oca­si­o­na­dos por per­das pro­du­ti­vas e repro­du­ti­vas”, deta­lha o geren­te de Pro­du­tos e Mar­cas da empresa.

Fon­te: Bio­gé­ne­sis Bagó

Rolar para cima