Sistemas FAEMG e FAEG buscam melhorias para produtores de leite - Balde Branco

A ideia é mul­ti­pli­car a ação nos esta­dos de Minas, Para­ná, São Pau­lo, San­ta Cata­ri­na, Rio Gran­de do Sul e Mato Gros­so do Sul que, jun­tos, res­pon­dem por mais de 80% da pro­du­ção lei­tei­ra do Brasil

Sistemas FAEMG e FAEG buscam melhorias para produtores de leite 

O pre­si­den­te da Comis­são Téc­ni­ca de Pecuá­ria de Lei­te do Sis­te­ma FAEMG/SENAR/INAES/Sindicatos (foto), Jôna­dan Ma; Luiz Hum­ber­to Gon­çal­ves (mem­bro da comis­são) e Cás­sio Viei­ra (inte­gran­te do Con­se­lei­te MG), par­ti­ci­pa­ram da pri­mei­ra reu­nião da Comis­são de Lei­te da Fede­ra­ção da Agri­cul­tu­ra e Pecuá­ria do Esta­do de Goiás (FAEG).

“Fomos mui­to bem rece­bi­dos pelo pre­si­den­te da FAEG, José Mário Sche­nei­der e pelo pre­si­den­te da Comis­são de Lei­te, Viní­cius Cor­rea. Tam­bém par­ti­ci­pa­ram do encon­tro o depu­ta­do esta­du­al (PSDB-GO), Amau­ri Ribei­ro; o secre­tá­rio de Esta­do da Agri­cul­tu­ra e Pecuá­ria de Goiás, Tia­go Men­don­ça; dire­to­res e vice-pre­si­den­tes da FAEG”, dis­se Jônadan.

Ele des­ta­cou que foi pos­sí­vel ali­nhar as estra­té­gi­as dos dois esta­dos, com rela­ção ao tra­ba­lho que está sen­do cons­truí­do jun­to às indús­tri­as, para que seja pos­sí­vel ter uma pre­vi­si­bi­li­da­de do pre­ço pago ao pro­du­tor. “Em Goiás, eles tra­ba­lham com o argu­men­to de que é jus­to e dig­no que a indús­tria faça ao menos uma par­te do paga­men­to na pri­mei­ra quin­ze­na. Em vez de somen­te no final do mês.”

O mais impor­tan­te, segun­do Jôna­dan, é que os 65 mil pro­du­to­res de Goiás estão deter­mi­na­dos a lutar por isso, cená­rio que os pro­du­to­res do Sis­te­ma FAEMG/SENAR/INAES conhe­cem bem. A ideia é mul­ti­pli­car a ação nos esta­dos de Minas, Para­ná, São Pau­lo, San­ta Cata­ri­na, Rio Gran­de do Sul e Mato Gros­so do Sul que, jun­tos, res­pon­dem por mais de 80% da pro­du­ção lei­tei­ra do Brasil

“É um tra­ba­lho de cons­tru­ção da rela­ção pro­du­tor-indús­tria e, quem sabe tam­bém, em bre­ve, do vare­jo. O pro­du­tor pre­ci­sa ter pers­pec­ti­vas, ain­da que, às vezes nega­ti­vas, do quan­to vai rece­ber e, assim, pos­sa se pro­gra­mar e pla­ne­jar seu negó­cio com mui­to mais êxi­to. Jun­to com a indús­tria, pode­mos cons­truir uma pecuá­ria mui­to melhor para todos.”

Fon­te: Sis­te­ma FAEMG