Sindilat entrega demandas ao Agro+ Gaúcho - Balde Branco

Na ten­ta­ti­va de redu­zir a buro­cra­cia que envol­ve o agro­ne­gó­cio gaú­cho, o secre­tá­rio-exe­cu­ti­vo do Sin­di­lat, Dar­lan Palha­ri­ni, entre­gou à Secre­ta­ria da Agri­cul­tu­ra, no últi­mo dia 5 de outu­bro, rela­tó­rio com alguns gar­ga­los a serem solu­ci­o­na­dos pelo pro­gra­ma Agro + Gaú­cho. As deman­das da indús­tria de lati­cí­ni­os gaú­cha inclu­em a padro­ni­za­ção de pro­ce­di­men­tos de ins­pe­ção e fis­ca­li­za­ção, além do cum­pri­men­to de pra­zos para auto­ri­za­ção de refor­mas e ampli­a­ções de ins­ta­la­ções nas indústrias.

O pre­si­den­te do Sin­di­lat, Ale­xan­dre Guer­ra, acre­di­ta que é neces­sá­rio sim­pli­fi­car as ope­ra­ções para que o desen­vol­vi­men­to no setor avan­ce. “Pode­mos uti­li­zar as notas fis­cais de entra­da em subs­ti­tui­ção às do pro­du­tor, por exem­plo. Isso daria velo­ci­da­de, redu­ção de des­pe­sas e man­te­ria a lega­li­da­de fis­cal das indús­tri­as, pro­du­tos e muni­cí­pi­os”, sugere.

A lis­ta do Sin­di­lat ain­da inclui a nor­ma­ti­za­ção de uso do trans­va­se, sis­te­ma popu­lar­men­te conhe­ci­do como Romeu e Juli­e­ta, que per­mi­te uso de dois tan­ques aco­pla­dos a um cami­nhão. A prá­ti­ca está pre­vis­ta na Lei do Lei­te, mas ain­da pre­ci­sa de regu­la­men­ta­ção. As indús­tri­as tam­bém plei­tei­am a padro­ni­za­ção de pro­ce­di­men­tos e cum­pri­men­to de pra­zos para auto­ri­za­ção de rotu­la­gens e a revi­são dos padrões de CCS e CBT do lei­te pre­vis­tos na IN 62. O sin­di­ca­to tam­bém pede auto­ri­za­ção para pro­ces­sa­men­to de lei­te fisi­o­lo­gi­ca­men­te anor­mal (Por­ta­ria 005 de 1983).

 

 

Rolar para cima