Safra de grãos eleva recorde histórico - Balde Branco

A safra  2016/17 de grãos está esti­ma­da em 222,9 milhões de tone­la­das, com um aumen­to de 19,5% ou 36,3 milhões de t.

Esses são os núme­ros anun­ci­a­dos pelo 6º levan­ta­men­to da Conab-Com­pa­nhia Naci­o­nal de Abas­te­ci­men­to, no últi­mo dia 9 de mar­ço. O cres­ci­men­to se deve à recu­pe­ra­ção da pro­du­ti­vi­da­de média das cul­tu­ras, ago­ra livres da influên­cia das más con­di­ções cli­má­ti­cas da safra pas­sa­da, e ao aumen­to de área. A pre­vi­são é de ampli­a­ção de 2,8% na área total em rela­ção à safra ante­ri­or, poden­do che­gar a 60 milhões de ha. Esse prog­nós­ti­co de área inclui as cul­tu­ras de segun­da safra.

A soja pro­je­ta cres­ci­men­to de 12,8% na pro­du­ção, deven­do atin­gir 107,6 milhões de t, com aumen­to de 12,2 milhões de t em rela­ção à safra ante­ri­or e ampli­a­ção de 1,9% na área, que deve che­gar a 33,9 milhões de ha. Já o milho total deve alcan­çar 89 milhões de t (33,7% supe­ri­or a safra 2015/2016), com 29,3 milhões de t para a pri­mei­ra safra e 59,7 milhões para a segun­da. A área total do milho deve ser de 16,8 milhões de ha (5,3% aci­ma da safra ante­ri­or). Jun­tos, milho e soja repre­sen­tam qua­se 90% do total de grãos pro­du­zi­do no país.

Minas Gerais man­tém expec­ta­ti­va de safra recor­de de grãos de 13,8 milhões de tone­la­das. O volu­me a ser colhi­do é apro­xi­ma­da­men­te 17% mai­or que a safra ante­ri­or. A área plan­ta­da deve alcan­çar 4,1 milhões de ha. A pro­du­ção minei­ra de milho está esti­ma­da em 7,9 milhões de t, com cres­ci­men­to de 32,6% em rela­ção à safra ante­ri­or. A área plan­ta­da com o grão deve abran­ger 1,2 milhões de ha (+6,3%) e a pro­du­ti­vi­da­de deve ser de 6.110 kg por ha (+24,7%).

O milho pri­mei­ra safra tem esti­ma­ti­va de pro­du­ção de 5,7 milhões de t, 11,6% supe­ri­or ao ano pas­sa­do, e área de 909,4 mil ha, regis­tran­do cres­ci­men­to de 8,6%. O milho pri­mei­ra safra é plan­ta­do, no esta­do, no perío­do de outu­bro a dezem­bro e colhi­do entre os meses de feve­rei­ro a junho. Nes­ta pri­mei­ra safra, tam­bém conhe­ci­da como safra de verão, o grão ocu­pa a segun­da posi­ção no ran­king naci­o­nal, atrás ape­nas do Rio Gran­de do Sul, que obte­ve 5,8 milhões de t.

Para o milho segun­da safra, a esti­ma­ti­va de pro­du­ção é de 2,1 milhões de t, regis­tran­do aumen­to é de 164,3% com­pa­ra­do à safra ante­ri­or e evi­den­cia que essa será uma ten­dên­cia para esta cul­tu­ra. O plan­tio do grão na segun­da safra é fei­to de janei­ro a maio e colhi­do entre junho a setem­bro. “O milho con­tri­bui com 57,2 % da safra de grãos no esta­do e tem uma impor­tân­cia estra­té­gi­ca para a pecuá­ria de lei­te e cor­te minei­ra, pois tem uma par­ti­ci­pa­ção expres­si­va as for­mu­la­ções das rações e pro­du­ção de silagens.

Rolar para cima