Produtores de leite economizam até 30% com o uso de Nattimilk na dieta de bezerras - Balde Branco

O uso de suce­dâ­ne­os lác­te­os, como o Nat­ti­milk, da Aus­ter, pro­por­ci­o­na inú­me­ros bene­fí­ci­os ao pro­du­tor, em espe­ci­al redu­ção de até 30% nos gas­tos do alei­ta­men­to ou, ain­da, 3:1 na rela­ção bene­fí­cio-cus­to, melho­ran­do o resul­ta­do zoo­téc­ni­co e econômico

Produtores de leite economizam até 30% com o uso de Nattimilk na dieta de bezerras 

Aumen­to dos cus­tos dos insu­mos, da impor­ta­ção de maté­ri­as-pri­mas e a vari­a­ção do dólar estão entre os fato­res que impac­tam dire­ta­men­te o cus­to da pro­du­ção do lei­te. Dian­te dos desa­fi­os impos­tos pelo momen­to, o pro­du­tor con­vi­ve com mar­gens cada vez mais aper­ta­das. “A boa notí­cia é que há alter­na­ti­vas de exce­len­te rela­ção cus­to-bene­fí­cio”, expli­ca o enge­nhei­ro agrô­no­mo, Wili­am Tabchoury.

“Há no mer­ca­do alter­na­ti­vas efi­ca­zes para ala­van­car a pro­du­ti­vi­da­de das fazen­das, espe­ci­al­men­te no desen­vol­vi­men­to das bezer­ras, com redu­ção de cus­tos e aumen­to da pro­du­ti­vi­da­de. O uso de suce­dâ­ne­os lác­te­os, como o Nat­ti­milk, da Aus­ter, pro­por­ci­o­na inú­me­ros bene­fí­ci­os ao pro­du­tor, em espe­ci­al redu­ção de até 30% nos gas­tos do alei­ta­men­to ou, ain­da, 3:1 na rela­ção bene­fí­cio-cus­to, melho­ran­do o resul­ta­do zoo­téc­ni­co e econô­mi­co”, res­sal­ta Tabchoury.

O espe­ci­a­lis­ta da Aus­ter infor­ma que “a inclu­são de suce­dâ­neo lác­teo de qua­li­da­de na die­ta das bezer­ras pro­por­ci­o­na aumen­to do volu­me de lei­te dis­po­ní­vel para comer­ci­a­li­za­ção, espe­ci­al­men­te no perío­do de for­ma­ção da cota, quan­do ocor­re mai­or con­cen­tra­ção de nas­ci­men­tos na pro­pri­e­da­de e mai­or valor rece­bi­do pelo lei­te”. Wili­am Tab­choury des­ta­ca que o con­su­mo de lei­te mater­no pelas bezer­ras pode aumen­tar o ganho de mas­sa gor­da, limi­tan­do o desen­vol­vi­men­to da cai­xa cor­po­ral dos ani­mais devi­do à ele­va­da quan­ti­da­de de gor­du­ra da com­po­si­ção. “Nes­se caso, o uso de Nat­ti­milk tam­bém é uma fer­ra­men­ta ali­a­da do pro­du­tor, pois aumen­ta a capa­ci­da­de pro­du­ti­va, reduz os cus­tos com medi­ca­men­tos e garan­te bons índi­ces de eficiência”.

Há outras van­ta­gens, como o aumen­to do volu­me de lei­te libe­ra­do para comer­ci­a­li­za­ção, que pode che­gar a até 10% do total. “É só fazer a con­ta para ver o ganho econô­mi­co”, diz o espe­ci­a­lis­ta. “Uma bezer­ra toma, em média, 510 litros de lei­te duran­te o perío­do de alei­ta­men­to (cer­ca de 6 litros de lei­te diá­ri­os duran­te 85 dias). O cus­to atin­ge R$ 1.147,50. Com o uso do suce­dâ­neo, o pro­du­tor tem ganhos de 20 a 30%, ou seja, eco­no­mi­za R$ 344,00 por bezer­ra des­ma­ma­da na pro­pri­e­da­de. Pelo cál­cu­lo da rela­ção bene­fí­cio-cus­to, a soma­tó­ria do aumen­to da recei­ta advin­da do mai­or volu­me de lei­te libe­ra­do para comer­ci­a­li­za­ção e aumen­to da pro­du­ção de lei­te da futu­ra vaca che­ga a uma rela­ção líqui­da de 3:1, ou seja, o ganho do pro­du­tor é 3 vezes supe­ri­or ao inves­ti­men­to com o Nat­ti­milk”, exemplifica.

Outro pon­to fun­da­men­tal para alcan­çar os resul­ta­dos espe­ra­dos é esco­lher um suce­dâ­neo lác­teo de qua­li­da­de. “Nat­ti­milk tem como dife­ren­ci­ais o mai­or nível de lac­to­se, a alta con­cen­tra­ção de vita­mi­nas e de mine­rais, além de qua­tro tipos de ami­noá­ci­dos essen­ci­ais, aci­di­fi­can­tes, fun­da­men­tais para a pro­mo­ção da saú­de intes­ti­nal e pro­mo­to­res de cres­ci­men­to. Sua for­mu­la­ção poten­ci­a­li­za o desen­vol­vi­men­to das bezer­ras, pos­si­bi­li­tan­do mai­or desem­pe­nho pro­du­ti­vo e zoo­téc­ni­co em com­pa­ra­ção a bezer­ras cri­a­das com o lei­te de vaca. O Nat­ti­milk é o úni­co suce­dâ­neo lác­teo do mer­ca­do desen­vol­vi­do para enfren­tar os desa­fi­os da cri­a­ção de bezer­ras em cli­ma tro­pi­cal e úmi­do. É só usar para com­pro­var a via­bi­li­da­de”, assi­na­la Tabchoury.

Fon­te: Aus­ter Nutri­ção Animal