Preço cai 2,5% em março e recuo no 1º tri chega a 10%

COLUNA DO CEPEA

revista-balde-branco-coluna-cepea-natalia-grigol-edicao-660

Natália Grigol

Pesquisadora do CEPEA

PREÇO CAI 2,5% EM MARÇO E RECUO NO 1º TRI CHEGA A 10%

De acor­do com pes­qui­sas do Cepea (Cen­tro de Estu­dos Avan­ça­dos em Eco­no­mia Apli­ca­da), da Esalq/USP, o pre­ço do lei­te cap­ta­do em feve­rei­ro e pago aos pro­du­to­res em mar­ço recu­ou 2,5% na “Média Bra­sil” líqui­da, che­gan­do a R$ 1,9384/litro. Com isso, a que­da acu­mu­la­da no pri­mei­ro tri­mes­tre do ano che­ga a 9,8%, em ter­mos reais (des­con­tan­do a infla­ção pelo IPCA de fevereiro/21). Ain­da assim, esse valor é recor­de para um mês de mar­ço e supe­ra em 28,3% o regis­tra­do no mes­mo perío­do de 2020.

O recuo das cota­ções do lei­te ao pro­du­tor este­ve atre­la­do ao enfra­que­ci­men­to da deman­da por lác­te­os, ten­do em vis­ta a dimi­nui­ção do poder de com­pra do bra­si­lei­ro, o fim do rece­bi­men­to do auxí­lio emer­gen­ci­al para mui­tas famí­li­as, o agra­va­men­to dos casos de covid-19 e a ele­va­ção do desem­pre­go. Com o con­su­mo fra­gi­li­za­do, hou­ve o aumen­to da pres­são dos canais de dis­tri­bui­ção para obter pre­ços mais bai­xos nas nego­ci­a­ções de deri­va­dos jun­to às indús­tri­as de laticínios.

         Des­se modo, pes­qui­sas do Cepea rea­li­za­das com apoio finan­cei­ro da OCB (Orga­ni­za­ção das Coo­pe­ra­ti­vas Bra­si­lei­ras) mos­tra­ram que, na média de feve­rei­ro, no ata­ca­do do esta­do de São Pau­lo, os pre­ços do lei­te UHT, do quei­jo muça­re­la e do lei­te em pó nego­ci­a­dos caí­ram 5,5%, 8,4% e 7,6%, res­pec­ti­va­men­te, fren­te ao mês ante­ri­or. As cota­ções de lei­te spot em Minas Gerais tam­bém recu­a­ram, 0,7% na média de feve­rei­ro, influ­en­ci­a­das pelo fra­co desem­pe­nho do mer­ca­do de lácteos.

“A que­da acu­mu­la­da no pri­mei­ro tri­mes­tre do ano che­ga a 9,8%, em ter­mos reais (des­con­tan­do a infla­ção pelo IPCA de fevereiro/21). Ain­da assim, esse valor é recor­de para um mês de mar­ço e supe­ra em 28,3% o regis­tra­do no mes­mo perío­do de 2020”

Ain­da assim, é impor­tan­te des­ta­car que a ofer­ta de lei­te no cam­po está limi­ta­da. O Índi­ce de Cap­ta­ção Lei­tei­ra (ICAP‑L) caiu 4,5% de janei­ro para feve­rei­ro e a expec­ta­ti­va de agen­tes do setor é de que essa que­da se acen­tue nos pró­xi­mos meses, por con­ta do avan­ço da entres­sa­fra. Ade­mais, a valo­ri­za­ção con­si­de­rá­vel e con­tí­nua dos grãos (prin­ci­pais com­po­nen­tes dos cus­tos de pro­du­ção da pecuá­ria lei­tei­ra) tem com­pro­me­ti­do a mar­gem do pro­du­tor e dimi­nuí­do os inves­ti­men­tos na ati­vi­da­de. Pes­qui­sas do Cepe­a­mos­tram que, em feve­rei­ro, o pecu­a­ris­ta pre­ci­sou de, em média, 42,2 litros de lei­te para a aqui­si­ção de uma saca de 60 kg de milho, 2,4% a mais que em janei­ro e 15,7% a mais que no mes­mo perío­do do ano passado.

Com o cus­to alto, o mane­jo ali­men­tar dos ani­mais tem sido pre­ju­di­ca­do e o aba­te de ani­mais, cres­ci­do (apro­vei­tan­do os pre­ços atra­ti­vos do mer­ca­do de cor­te). Con­se­quen­te­men­te, a ofer­ta de lei­te no cam­po deve seguir limi­ta­da nos pró­xi­mos meses. Nes­se cená­rio, a com­pe­ti­ção das indús­tri­as pela com­pra de maté­ria-pri­ma deve se acir­rar, levan­do, con­se­quen­te­men­te, à reto­ma­da dos pre­ços ao produtor.

 
 INDI­CA­DOR PRE­ÇO DO LEI­TE AO PRO­DU­TOR CEPEA
  PRE­ÇOS RECE­BI­DOS EM MAR­ÇO PELO VOLU­ME CAP­TA­DO EM FEVEREIRO
  Pre­ços líqui­dos — não con­tém fre­te e impos­tos. Valo­res nominais.
         
 BAGOMGSPPRSCRSBRA­SIL
jan/212,04612,04922,04092,04382,02301,97062,00842,0344
fev/211,98802,02681,99851,97911,91981,94331,97591,9889
mar/211,91141,93901,95781,93321,86431,91201,89461,9384
vari­a­ção mensal-3,85%-4,33%-2,04%-2,32%-2,89%-1,61%-4,11%-2,54%
Rolar para cima