Pasto bem cercado contribui com a produtividade da pecuária leiteira,
Entre as opções do port­fó­lio da Bel­go estão os ara­mes para cer­cas elé­tri­cas, a melhor solu­ção para o cer­ca­men­to do gado de lei­te, que são mais dóceis, tran­qui­los e se adap­tam mui­to bem ao manejo

Pasto bem cercado contribui com a produtividade da pecuária leiteira, diz analista da Belgo Bekaert

O novo coro­na­ví­rus tem impac­ta­do diver­sos seto­res da eco­no­mia. Mas como nem tudo são más notí­ci­as. Mes­mo dian­te da pan­de­mia, no Bra­sil há expec­ta­ti­vas de aumen­to na pro­du­ção lei­tei­ra em cer­ca de 2% em 2020. “O cres­ci­men­to é modes­to, porém de extre­ma impor­tân­cia para a sus­ten­ta­bi­li­da­de da cadeia nes­se momen­to de cri­se. Mai­or pro­du­ção aju­da a man­ter a recei­ta dos pro­du­to­res e con­tri­bui para a ofer­ta de ali­men­tos para a popu­la­ção”, des­ta­ca César de Oli­vei­ra, ana­lis­ta de mer­ca­do da Bel­go Beka­ert, empre­sa líder em ara­mes no país.

O Bra­sil pro­duz cer­ca de 35 bilhões de litros de lei­te por ano. Ao todo, são 20 milhões de vacas orde­nha­das. O valor da pro­du­ção, somen­te den­tro das fazen­das, atin­ge R$ 36 bilhões.

“O con­su­mo de lei­te per capi­ta che­ga a 166 litros por ano, o que mos­tra a impor­tân­cia des­se pro­du­to para a die­ta bra­si­lei­ra, mas tam­bém o poten­ci­al de cres­ci­men­to da ati­vi­da­de. Lei­te é uma impor­tan­te fon­te de cál­cio, fun­da­men­tal para a saú­de dos ossos. Além dis­so, seu con­su­mo for­ta­le­ce o orga­nis­mo huma­no con­tra infec­ções, o que é espe­ci­al­men­te impor­tan­te para nos man­ter sau­dá­veis duran­te a pan­de­mia”, afir­ma César.

“Para con­tri­buir com a pro­du­ti­vi­da­de da pecuá­ria lei­tei­ra, a Bel­go for­ne­ce ara­mes e cer­cas de qua­li­da­de para pro­pri­e­da­des rurais dos mais dife­ren­tes por­tes e neces­si­da­des. O pas­to bem cer­ca­do per­mi­te que o mane­jo seja mais efi­caz, man­ten­do os ani­mais pro­te­gi­dos e seg­men­ta­dos. O resul­ta­do é mais pro­du­ti­vi­da­de”, des­ta­ca César de Oliveira.

Entre as opções do port­fó­lio da Bel­go estão os ara­mes para cer­cas elé­tri­cas, a melhor solu­ção para o cer­ca­men­to do gado de lei­te, que são mais dóceis, tran­qui­los e se adap­tam mui­to bem ao mane­jo. “Além dis­so, o cus­to da cer­ca elé­tri­ca é, em média, 30% do cus­to das cer­cas con­ven­ci­o­nais, mini­mi­zan­do os gas­tos e poten­ci­a­li­zan­do os lucros do pro­du­tor”, res­sal­ta o ana­lis­ta da Belgo.

Em seu port­fó­lio, a com­pa­nhia con­ta com Bel­go Ele­trix, com car­ga de rup­tu­ra de 500 kgf (qui­lo­gra­mas-for­ça), e Bel­go Ele­trix Light, com car­ga de 220 kgf(arame macio usa­do em cer­cas com lan­ces meno­res até 200 metros de com­pri­men­to)  “São ara­mes com tri­pla gal­va­ni­za­ção, mai­or dura­bi­li­da­de e resis­tên­cia à cor­ro­são. Além do cus­to redu­zi­do na aqui­si­ção dos ara­mes, as cer­cas elé­tri­cas tam­bém pro­por­ci­o­nam menor cus­to em sua con­fec­ção, pois pode­mos dis­tan­ci­ar os pos­tes inter­me­diá­ri­os, até 30 metros de dis­tân­cia um do outro e uti­li­zar madei­ras mais finas e até ver­ga­lhões inter­ca­la­dos com as madei­ras”, fina­li­za Oliveira.

Asses­so­ria de Comu­ni­ca­ção da Bel­go Bekaert

Rolar para cima