Observatório da criminalidade no campo - Balde Branco

A CNA-Con­fe­de­ra­ção da Agri­cul­tu­ra e Pecuá­ria do Bra­sil cri­ou o Obser­va­tó­rio da Cri­mi­na­li­da­de no Cam­po com o obje­ti­vo de tra­çar um diag­nós­ti­co e pro­por ações que com­ba­tam a vio­lên­cia que atin­ge o pro­du­tor rural. A pri­mei­ra ação nes­se sen­ti­do foi o lan­ça­men­to de um for­mu­lá­rio no site da CNA (cnabrasil.org.br) em que os pro­du­to­res de todo o País podem rela­tar casos de vio­lên­cia no campo.

“Os nomes dos pro­du­to­res e das fazen­das serão man­ti­dos em sigi­lo, mas as infor­ma­ções são impor­tan­tes para cri­ar­mos um per­fil da vio­lên­cia no cam­po”, afir­mou André San­ches, secre­tá­rio-exe­cu­ti­vo do CNA. Com o cadas­tro será pos­sí­vel saber, por exem­plo, as regiões mais atin­gi­das pela vio­lên­cia, os tipos de cri­mes e até os pro­du­tos mais visa­dos para rou­bos e furtos.

Segun­do ele, a par­tir des­te diag­nós­ti­co será pos­sí­vel ofe­re­cer infor­ma­ções estra­té­gi­cas aos órgãos com­pe­ten­tes para que tomem as pro­vi­dên­ci­as ade­qua­das. “As fede­ra­ções e os sin­di­ca­tos têm papel fun­da­men­tal para aju­dar e esti­mu­lar o pro­du­tor no pre­en­chi­men­to do for­mu­lá­rio dis­po­ní­vel no site da CNA”, diz ele.

Rolar para cima