No caminho da evolução em produtividade e qualidade do leite - Balde Branco

Programa Transtec orienta produtores nas boas práticas na produção leiteira

LEITE EM RONDÔNIA

No caminho da evolução

em produtividade e qualidade do leite

Mesmo figurando em nono lugar entre os Estados que mais produzem leite no Brasil, segundo dados do IBGE, a pecuária leiteira em Rondônia não se dá por satisfeita e busca mais tecnificação dos sistemas produtivos para impulsionar a atividade 

Erick Henrique

A agro­pe­cuá­ria des­pon­ta como o mai­or seg­men­to econô­mi­co em Rondô­nia, segun­do ava­li­a­ção dos pes­qui­sa­do­res da Embra­pa Rondô­nia – que desen­vol­ve­ram, em 2020, o pro­je­to de pes­qui­sa e trans­fe­rên­cia de tec­no­lo­gia para o for­ta­le­ci­men­to da pecuá­ria de lei­te no Esta­do para os pró­xi­mos cin­co anos, deno­mi­na­do Transtec. 

“A pecuá­ria lei­tei­ra, em espe­ci­al, tem dado impor­tan­te con­tri­bui­ção. O Esta­do é o que mais pro­duz lei­te na Região Nor­te, com um per­fil emi­nen­te­men­te de base fami­li­ar. A pro­du­ção de lei­te por aqui apre­sen­tou cres­ci­men­to na últi­ma déca­da. Entre­tan­to, par­te con­si­de­rá­vel des­se aumen­to se pau­tou pelo aumen­to das áre­as explo­ra­das e do reba­nho”, expli­ca Rhu­an Amo­rin de Lima, ana­lis­ta da ins­ti­tui­ção e res­pon­sá­vel pelo projeto.

Para ele, ape­sar de nos últi­mos anos ter sido obser­va­da uma mudan­ça gra­du­al na tec­ni­fi­ca­ção dos sis­te­mas pro­du­ti­vos, a pro­du­ção ron­do­ni­en­se, em geral, ain­da é con­si­de­ra­da de bai­xo nível tec­no­ló­gi­co. Ape­sar do bai­xo índi­ce de ado­ção de tec­no­lo­gi­as, as carac­te­rís­ti­cas pro­du­ti­vas, tais como abun­dân­cia de chu­vas, via­bi­li­da­de de sis­te­mas de pro­du­ção de lei­te a pas­to e pro­du­ção dire­ci­o­na­da para a indus­tri­a­li­za­ção, demons­tram o gran­de poten­ci­al de cres­ci­men­to da pecuá­ria lei­tei­ra nes­ta uni­da­de da Federação. 

Para continuar lendo, assine nossa revista