Mochação de bezerras leiteiras: Quanto antes for feita, melhor - Balde Branco

É preciso todo cuidado para evitar a dor no animal, seguindo o protocolo de uso de tranquilizante, sedativo e anestésico 

MANEJO

Mochação de bezerras leiteiras: 

Quanto antes for feita, melhor

Veja como é possível minimizar consideravelmente os impactos da utilização dessa técnica dolorosa para o animal, porém tão necessária para a bovinocultura leiteira 

Erick Henrique

O médi­co vete­ri­ná­rio Mar­ce­lo da Sil­va Cecim, pro­fes­sor da Uni­ver­si­da­de Fede­ral de San­ta Maria (UFSM-RS) e ide­a­li­za­dor do pro­je­to “Tra­du­zin­do Vacas”, que estu­da o com­por­ta­men­to ani­mal, é tam­bém uma auto­ri­da­de quan­do o assun­to é mocha­ção e des­cor­na de bovi­nos lei­tei­ros. Ele trei­na, fre­quen­te­men­te, pro­du­to­res e cola­bo­ra­do­res para apli­car cor­re­ta­men­te essa téc­ni­ca no reba­nho e é nos­so entre­vis­ta­do para for­ne­cer ori­en­ta­ções de gran­de valia para os lei­to­res da Bal­de Branco.

“Acho impor­tan­te pon­tu­ar a dife­ren­ça entre as duas téc­ni­cas, de mocha­ção e des­cor­na. A pri­mei­ra é o ato de impe­dir o cres­ci­men­to do botão cór­neo, que pre­ci­sa ser fei­to numa ida­de bas­tan­te jovem. Já a des­cor­na, por outro lado, é um pro­ces­so anti­qua­do, pois é a reti­ra­da cirúr­gi­ca do pro­ces­so cor­nu­al. Ou seja, faz-se o cor­te e a exci­são de osso, por­que o chi­fre já cres­ceu. Então, sem­pre que se tem de fazer uma des­cor­na, fica paten­te que hou­ve um atra­so no pro­ces­so”, explica. 

Segun­do o pro­fes­sor, há, atu­al­men­te, em mui­tos paí­ses e tam­bém no Bra­sil, movi­men­tos con­tra a des­cor­na, entre eles, um pro­je­to de lei na Assem­bleia Legis­la­ti­va do Rio de Janei­ro. Esses movi­men­tos con­si­de­ram a des­cor­na uma muti­la­ção, tornando‑a um ato proi­bi­ti­vo para o exer­cí­cio da pro­fis­são de médi­co vete­ri­ná­rio.
“Con­tu­do, a neces­si­da­de das duas téc­ni­cas é evi­den­te, sem­pre que inten­si­fi­ca­mos o mane­jo dos ani­mais. Bovi­nos que pos­su­em chi­fres tor­nam o mane­jo com outros ani­mais bas­tan­te difí­cil. Aci­den­tes segui­dos ocor­rem com os ani­mais de chi­fres, logo, pre­ci­sa­rão de uma metra­gem mai­or de cocho, uma vez que ten­dem a ser domi­nan­tes, exa­ta­men­te por usa­rem os chi­fres para se pro­te­ger”, diz.

Marcelo da Silva Cecim: “Há uma quantidade muito grande de trabalhos na literatura mostrando que a técnica de mochação é um processo doloroso, seja ela realizada com pasta ou a ferro”

Para continuar lendo, assine nossa revista