Microminerais na saúde e longevidade de vacas leiteiras - Balde Branco

As die­tas bovi­nas con­tam com opções sofis­ti­ca­das, mas ain­da care­cem de espe­ci­fi­ca­ções mine­rais, que res­pon­dem pela sani­da­de e vida útil

Por Rogé­rio Isler

A cada dia, a pecuá­ria lei­tei­ra tra­ba­lha com o desa­fio de aumen­tar seus resul­ta­dos econô­mi­cos. E isso, na mai­o­ria das vezes, aca­ba con­ver­gin­do para a bus­ca do aumen­to da pro­du­ção de lei­te, pois ela dilui os cus­tos fixos da ati­vi­da­de. Mas, o incre­men­to da efi­ci­ên­cia pro­du­ti­va da pro­pri­e­da­de rural não pode ser con­quis­ta­do a qual­quer cus­to. É pre­ci­so ter em vis­ta a saú­de e lon­ge­vi­da­de dos reba­nhos para que se ganhe em quan­ti­da­de e qualidade.

Quan­do se fala em efi­ci­ên­cia do sis­te­ma pro­du­ti­vo, o prin­ci­pal pon­to a ser ava­li­a­do é o pre­ço de pro­du­ção por uni­da­de — nes­te caso, por litro de lei­te. Esse valor é dire­ta­men­te impac­ta­do pelo cus­to ali­men­tar, que cor­res­pon­de à prin­ci­pal par­te do orça­men­to da pro­du­ção lei­tei­ra. E quan­to mai­or for a média de pro­du­ção de lei­te do reba­nho, mai­or será sua par­ti­ci­pa­ção per­cen­tu­al na one­ra­ção do litro pro­du­zi­do. A efi­ci­ên­cia será alcan­ça­da quan­do o cus­to por litro de lei­te pro­du­zi­do for menor, a medi­da em que o volu­me de lei­te cap­ta­do por hec­ta­re cres­cer. Mas, essa ava­li­a­ção deve con­si­de­rar tam­bém a depre­ci­a­ção dos bens de pro­du­ção, que tem a lon­ge­vi­da­de das vacas como o prin­ci­pal pon­to de atenção.

Outro aspec­to impor­tan­te para se atin­gir altos níveis de desem­pe­nho e efi­ci­ên­cia do reba­nho lei­tei­ro é o inves­ti­men­to em uma die­ta ade­qua­da. O balan­ce­a­men­to cor­re­to da ali­men­ta­ção do gado e um bom mane­jo, ten­do em vis­ta a poten­ci­a­li­za­ção do con­su­mo, tra­zem uma série de bene­fí­ci­os para o reba­nho, como a pro­du­ção de gran­des quan­ti­da­des de lei­te, man­ten­do a saú­de do reba­nho, com bai­xa con­ta­gem de célu­las somá­ti­cas; a dimi­nui­ção da inci­dên­cia de pro­ble­mas de cas­co e a manu­ten­ção de bons índi­ces reprodutivos.

Com uma exi­gên­cia mai­or, as die­tas desen­vol­vi­das para o gado lei­tei­ro ganha­ram opções mais sofis­ti­ca­das, a par­tir do balan­ço das fra­ções pro­teí­na, car­boi­dra­to e gor­du­ra. No entan­to, ain­da se dá menos aten­ção às espe­ci­fi­ca­ções mine­rais, espe­ci­al­men­te à fra­ção de micro­mi­ne­rais, que têm um papel essen­ci­al no meta­bo­lis­mo ani­mal. Os micro­mi­ne­rais são ati­va­do­res ou cofa­to­res de diver­sas enzi­mas e, con­se­quen­te­men­te, têm impac­to sig­ni­fi­ca­ti­vo sobre o desem­pe­nho do rebanho.

—————-

Rogé­rio Isler, médi­co vete­ri­ná­rio e geren­te gado de lei­te da Zin­pro Per­for­man­ce Minerals.

Rolar para cima