Troféu Agroleite abre votação para escolha dos melhores da cadeia leiteira - Balde Branco

O super quei­jo de Ipa­ne­ma che­gou a 2.284 qui­los, em 2019, e, nes­te ano, bateu o pró­prio recor­de: 2.453 qui­los. O pro­du­to foi apre­sen­ta­do na 12ª Fes­ta do Quei­jo, um even­to que já se tor­nou tra­di­ção em Minas Gerais

Maior queijo do mundo foi produzido em Ipanema (MG)

Da reda­ção

E m 2019, ano da últi­ma edi­ção da fes­ta, o super quei­jo de Ipa­ne­ma che­gou a 2.284 qui­los e, nes­te ano, bateu o pró­prio recor­de: 2.453 qui­los, qua­se duas tone­la­das e meia. O doce de lei­te tam­bém que­brou o pró­prio recor­de, de 828 qui­los, em 2019; para 873 qui­los ago­ra, em 2022.

O quei­jo e o doce de lei­te des­fi­la­ram pela cida­de em car­ro aber­to no dia 18 de junho e, em segui­da, foram cor­ta­dos e dis­tri­buí­dos gra­tui­ta­men­te para a popu­la­ção na Pra­ça Coro­nel Calhau. A fes­ta foi rea­li­za­da em par­ce­ria com o lati­cí­nio Dois Irmãos e a fábri­ca de doces Nhá Nair. Para a pesa­gem do quei­jo e do doce de lei­te, a audi­to­ria foi rea­li­za­da pelo Rank Brasil.

“Foi uma fes­ta mui­to orga­ni­za­da. O con­cur­so de quei­jo foi mui­to con­cor­ri­do e reu­niu gen­te de dife­ren­tes cida­des. Quan­to ao melhor quei­jo da região, a esco­lha foi mui­to difí­cil por­que a qua­li­da­de esta­va alta”, dis­se o asses­sor da dire­to­ria do Sis­te­ma FAEMG, Antô­nio Car­los Álva­res (Toni­nho de Pompéu).

O super­vi­sor do Pro­gra­ma de Assis­tên­cia Téc­ni­ca e Geren­ci­al (ATeG), Ricar­do Lig­na­ni, e o pre­si­den­te do Sin­di­ca­to dos Pro­du­to­res Rurais de Ipa­ne­ma, Célio Ribei­ro Soa­res, tam­bém mar­ca­ram pre­sen­ça no evento.

Célio Soa­res des­ta­cou que a cida­de é uma impor­tan­te bacia lei­tei­ra do Vale do Rio Doce. “Com 20 mil habi­tan­tes, Ipa­ne­ma tem como pro­pul­sor da eco­no­mia a pecuá­ria lei­tei­ra. A cida­de é naci­o­nal­men­te conhe­ci­da pela pro­du­ção do quei­jo gigan­te e, nes­te ano, rea­li­zou a mai­or edi­ção do even­to. Nós, do Sin­di­ca­to Rural, fica­mos feli­zes em con­tri­buir para a capa­ci­ta­ção e qua­li­fi­ca­ção dos nos­sos pro­du­to­res rurais e da pecuá­ria lei­tei­ra e de outras cadei­as também”.