Leite orgânico tem projeto de pesquisa aprovado na Embrapa

‘Obser­va­tó­rio’ visa resol­ver um dos prin­ci­pais gar­ga­los do setor: a ausên­cia de infor­ma­ções sobre pro­du­ção, comer­ci­a­li­za­ção e con­su­mo de lei­te orgânico

 

Produção de leite orgânico no Brasil tem projeto de pesquisa aprovado na Embrapa

Por Rubens Nei­va — Depar­ta­men­to de Comu­ni­ca­ção Orga­ni­za­ci­o­nal da Embra­pa Gado de Leite

A Embra­pa apro­vou nes­te mês o pro­je­to que via­bi­li­za o “Obser­va­tó­rio do Lei­te Orgâ­ni­co”. O obje­ti­vo do Obser­va­tó­rio é rea­li­zar o mape­a­men­to e a carac­te­ri­za­ção dos sis­te­mas de pro­du­ção de lei­te orgâ­ni­co no país, cata­li­san­do infor­ma­ções sobre esse mode­lo de pro­du­ção, que ganha cada vez mais adep­tos no setor pro­du­ti­vo (veja tabe­la ao final des­ta repor­ta­gem). “A ausên­cia de dados a res­pei­to da pro­du­ção orgâ­ni­ca, nos diver­sos elos da cadeia, é o prin­ci­pal gar­ga­lo para o cres­ci­men­to do setor no país”, diz o ana­lis­ta da Embra­pa Gado de Lei­te, Fábio Home­ro Diniz. Segun­do ele, o Obser­va­tó­rio irá reu­nir em uma úni­ca pla­ta­for­ma dados e infor­ma­ções sis­te­ma­ti­za­das sobre a cadeia agro­a­li­men­tar do lei­te orgânico.

A expec­ta­ti­va é rea­li­zar uma ampla carac­te­ri­za­ção e moni­to­ra­men­to ter­ri­to­ri­al das fazen­das orgâ­ni­cas de lei­te, com dados sobre o tama­nho do reba­nho, pro­du­ti­vi­da­de, ambi­en­te e ava­li­a­ção da efi­ci­ên­cia dos sis­te­mas. A pla­ta­for­ma tam­bém con­te­rá dados sobre for­ne­ce­do­res de insu­mos como grãos e semen­tes orgâ­ni­ca e medi­ca­men­tos. A pes­qui­sa­do­ra da Embra­pa Gado de Lei­te, Fer­nan­da Sama­ri­ni Macha­do, diz que essen­ci­al para o cres­ci­men­to do setor ter poder con­tar com uma pla­ta­for­ma digi­tal, aglu­ti­nan­do infor­ma­ções: “A pro­du­ção de lei­te orgâ­ni­ca é dife­ren­ci­a­da, prin­ci­pal­men­te por não ado­tar insu­mos quí­mi­cos e da difi­cul­da­de em adqui­rir bioin­su­mos”. O Obser­va­tó­rio fará uma inter­me­di­a­ção entre os elos da cadeia pro­du­ti­va, com infor­ma­ções sobre canais de dis­tri­bui­ção e cir­cui­tos de comercialização.

Raio X – A ideia de se cri­ar o Obser­va­tó­rio sur­giu em 2019, a par­tir de diá­lo­gos com repre­sen­tan­tes dos diver­sos elos da cadeia. Em 2020, foi rea­li­za­do um estu­do pros­pec­ti­vo sobre a pecuá­ria lei­tei­ra orgâ­ni­ca naci­o­nal. O pró­prio estu­do é uma pré­via do poten­ci­al do Obser­va­tó­rio e da lacu­na que ele irá cobrir. “Na épo­ca, iden­ti­fi­ca­mos 96 uni­da­des de pro­du­ção orgâ­ni­ca; envi­a­mos um ques­ti­o­ná­rio aos pro­du­to­res para sub­si­di­ar o pro­je­to e obti­ve­mos 39 res­pos­tas”.  A par­tir daí, foi pos­sí­vel obter um peque­no Raio X do setor. A pes­qui­sa reve­lou que os reba­nhos são com­pos­tos pre­do­mi­nan­te­men­te de ani­mais Holan­dês-Gir, Holan­dês-Jer­sey e Jer­sey. A área média das pro­pri­e­da­des é de 270 hec­ta­res (míni­mo de três ha e máxi­mo de 2.980 ha), com área média dedi­ca­da à pecuá­ria orgâ­ni­ca de 81,5 ha. Veja outros dados iden­ti­fi­ca­dos na prospecção:

- Produção/dia:  média de 930 litros (vari­an­do de 60 L/dia a 5.000 L/dia);

- Pro­du­ção média/vaca: 14 L/dia;

- Tama­nho médio dos reba­nhos: 78 vacas (vari­an­do de cin­co a 310 vacas), sen­do 57 vacas em lactação.

- Sis­te­ma de pro­du­ção: Pas­to = 46%; Semi­con­fi­na­men­to = 53%.

- O pas­te­jo rota­ci­o­na­do: 89% das fazendas.

Para 72% dos pro­du­to­res entre­vis­ta­dos, a ati­vi­da­de lei­tei­ra orgâ­ni­ca repre­sen­ta a prin­ci­pal fon­te de ren­da, enquan­to 34% dos pro­du­to­res rea­li­za outra ati­vi­da­de orgâ­ni­ca além da pro­du­ção de lei­te (ole­ri­cul­tu­ra, pro­du­ção de café e milho). Os pro­ble­mas sani­tá­ri­os apon­ta­dos foram: mas­ti­te e endo e ecto­pa­ra­si­to­ses. Foram des­ta­ca­dos tam­bém o pou­co conhe­ci­men­to em mane­jo orgâ­ni­co e a fal­ta de con­sul­to­ria téc­ni­ca espe­ci­a­li­za­da, além da neces­si­da­de de se redu­zir a buro­cra­cia do pro­ces­so de cer­ti­fi­ca­ção, com mai­or cla­re­za das nor­mas e menor cus­to. Entre os prin­ci­pais desa­fi­os iden­ti­fi­ca­dos na pes­qui­sa, des­ta­cam-se a difi­cul­da­de de comer­ci­a­li­za­ção da pro­du­ção, além da escas­sez e alto pre­ço dos insu­mos orgâ­ni­cos, como milho e soja.

Segun­do Fer­nan­da Macha­do, embo­ra a pro­du­ção de lei­te em sis­te­mas orgâ­ni­cos repre­sen­te um per­cen­tu­al mui­to peque­no em rela­ção a pro­du­ção total de lei­te, o Bra­sil apre­sen­ta con­di­ções téc­ni­cas e ambi­en­tais para o aumen­to da ofer­ta de lei­te e deri­va­dos orgâ­ni­cos. Mas ela aler­ta que aspec­tos mer­ca­do­ló­gi­cos, rela­ci­o­na­dos a dis­po­ni­bi­li­za­ção de insu­mos, comer­ci­a­li­za­ção da pro­du­ção, deman­da por assis­tên­cia téc­ni­ca espe­ci­a­li­za­da, além ques­tões buro­crá­ti­cas rela­ci­o­na­das à cer­ti­fi­ca­ção podem limi­tar esta ofer­ta. “Os desa­fi­os dos ato­res da cadeia pro­du­ti­va são gran­des e o Obser­va­tó­rio sur­ge como uma fer­ra­men­ta para ven­cê-los”, con­clui Diniz.

Uni­da­des de Pro­du­ção de lei­te orgâ­ni­co entre 2018 e 2020

 

Esta­do

Uni­da­des de pro­du­ção em 2018

Uni­da­des de pro­du­ção em 2020

São Pau­lo

11

45

San­ta Catarina

27

7

Para­ná

20

14

Rio Gran­de do Sul

4

4

Minas Gerais

6

11

Rio de Janeiro

1

8

Acre

1

1

Pará

1

1

Paraí­ba

1

1

Ala­go­as

1

1

Bahia

1

1

Dis­tri­to Federal

1

1

Espí­ri­to Santo

1

1

TOTAL

76

96

 

Fon­te: Cadas­tro Naci­o­nal de Pro­du­to­res Orgâ­ni­cos – MAPA. Ela­bo­ra­ção: Embra­pa Gado de Leite

Rolar para cima