Com margem reduzida, produtores norte-americanos precisam de escala, eficiência de manejo com boa reprodução e genética

Luiz H. Pitom­bo

 

O esta­do de Dako­ta do Sul, nas pla­ní­ci­es do Cen­tro-Oes­te dos Esta­dos Uni­dos, não figu­ra entre os prin­ci­pais pro­du­to­res de lei­te do país, que é enca­be­ça­do pela Cali­fór­nia e Wis­con­sin, com 18% e 14%, res­pec­ti­va­men­te, dos 98 bilhões de kg obti­dos no ano pas­sa­do, segun­do dados ofi­ci­ais do U.S. Depart­men­to­fA­gri­cul­tu­re (USDA).

No entan­to, nos últi­mos anos a região está sen­do con­si­de­ra­da uma nova fron­tei­ra na pro­du­ção lei­tei­ra com aumen­tos expres­si­vos em seu reba­nho, volu­me pro­du­zi­do e par­ti­ci­pa­ção no total naci­o­nal. Con­si­de­ran­do o perío­do entre 2014 e 2018, suas 121 mil vacas em lac­ta­ção no ano pas­sa­do repre­sen­ta­ram um cres­ci­men­to de 24%, con­tra 1,5% do país com 9,4 milhões de cabe­ças. O volu­me de lei­te ficou em 1,2 bilhão de kg, ou 28% a mais, para um incre­men­to naci­o­nal de 5,6%, resul­tan­do num aumen­to de sua pre­sen­ça para 1,2% do país.

Ao olhar mais de per­to a rea­li­da­de local é pos­sí­vel iden­ti­fi­car vári­os dos fato­res que atra­em fazen­dei­ros de outros esta­dos, inclu­si­ve, da pró­pria Cali­fór­nia. Den­tre eles, estão o valor con­vi­da­ti­vo da ter­ra, boa dis­po­ni­bi­li­da­de de água, for­ra­gei­ras e grãos que bara­tei­am o cus­to da ali­men­ta­ção, bem como a pos­tu­ra do gover­no esta­du­al, que apos­ta na ati­vi­da­de.

As licen­ças para a ins­ta­la­ção de novas pro­pri­e­da­des lei­tei­ras ou para a ampli­a­ção das já exis­ten­tes são mais fáceis de se obter do que em outros esta­dos. A situ­a­ção tri­bu­tá­ria é bas­tan­te favo­rá­vel, o que tam­bém bene­fi­cia o setor indus­tri­al, e exis­te isen­ção de taxas. A legis­la­ção tra­ba­lhis­ta, por sua vez, aten­de melhor aos mol­des pre­ten­di­dos pelos pro­du­to­res.

Para mos­trar a pro­mis­so­ra região e o desen­vol­vi­men­to obti­do por vári­as das pro­pri­e­da­des locais a que aten­de, incluin­do uma no esta­do vizi­nho de Iowa, a Cen­tral Alta Gene­tics pro­mo­veu, na últi­ma sema­na de junho, o seu 20º Show­ca­se. Este reu­niu per­to de 250 pro­du­to­res de lei­te de mais de 20 paí­ses (Argen­ti­na, Aus­trá­lia, Bra­sil, Cana­dá, Chi­na, Holan­da, Japão, Méxi­co, Rús­sia, den­tre outros).


Leia a ínte­gra des­ta maté­ria na edi­ção Bal­de Bran­co 656 (agosto/2019)

Rolar para cima