Laticínios preparam comitiva a Brasília - Balde Branco

Lati­cí­ni­os gaú­chos irão a Bra­sí­lia no iní­cio des­te mês para reu­nião com lide­ran­ças do gover­no fede­ral com o intui­to de limi­tar as impor­ta­ções de lác­te­os do Uru­guai. A deci­são foi toma­da em reu­nião rea­li­za­do no últi­mo dia 26 de setem­bro, na sede do Sin­di­lat, em Por­to Ale­gre-RS. O pedi­do, que vem sen­do enca­mi­nha­do nos últi­mos meses, é vis­to pelo setor como estra­té­gi­co para regu­lar o mer­ca­do bra­si­lei­ro, onde os pre­ços do lei­te entram em declí­nio em fun­ção do aumen­to da oferta.

Segun­do o pre­si­den­te do Sin­di­lat, Ale­xan­dre Guer­ra, a estra­té­gia é esta­be­le­cer uma espé­cie de gati­lho que libe­re a impor­ta­ção ape­nas em alguns momen­tos do ano.  “Pre­ci­sa­mos des­sa fer­ra­men­ta para man­ter a via­bi­li­da­de das indús­tri­as e do pro­du­tor”, sali­en­tou, lem­bran­do que a deli­be­ra­ção tem apoio do Con­se­lei­te. A comi­ti­va pre­ten­de se reu­nir com repre­sen­tan­tes do Minis­té­rio da Agri­cul­tu­ra e o Minis­té­rio das Rela­ções Exteriores.

No encon­tro de lati­cí­ni­os, as indús­tri­as ain­da deba­te­ram as pro­pos­tas a serem reme­ti­das ao Agro+ gaú­cho de for­ma des­bu­ro­cra­ti­zar o setor lác­teo no Rio Gran­de do Sul. As empre­sas mon­ta­ram gru­po de tra­ba­lho para deba­ter a ques­tão e com­pi­lar os apon­ta­men­tos do seg­men­to. Na reu­nião, o secre­tá­rio-exe­cu­ti­vo do Sin­di­lat, Dar­lan Palha­ri­ni, ain­da fez um rela­to sobre as poten­ci­a­li­da­des de mer­ca­do veri­fi­ca­das duran­te via­gem ao Ori­en­te rea­li­za­da nes­te mês com a comi­ti­va do gover­no brasileiro.

Ele deta­lhou as ações e visi­tas rea­li­za­das a redes vare­jis­tas na Coreia do Sul, Tai­lân­dia, Hong Kong e Chi­na. Entre as pecu­li­a­ri­da­des apon­ta­das está a pre­fe­rên­cia e a con­se­quen­te valo­ri­za­ção dos lác­te­os impor­ta­dos. “Mes­mo sen­do mais bara­tos, os lác­te­os pro­du­zi­dos local­men­te não têm tan­ta deman­da”, citou.

Rolar para cima