Laboratório móvel leva tecnologia e inovação para as propriedades - Balde Branco

QUALIDADE DO LEITE 

Laboratório móvel

leva tecnologia e inovação para dentro das propriedades

São iniciativas que visam levar aos produtores de leite o acesso à análise do leite, bem como conhecimentos e orientação sobre as boas práticas de produção 

João Carlos de Faria

O anti­go pro­vér­bio que diz sobre Mao­mé ir à mon­ta­nha, caso a mon­ta­nha não venha até ele, pode ser apli­ca­do per­fei­ta­men­te à pro­pos­ta do Ins­ti­tu­to Bio­Sis­tê­mi­co (IBS), lan­ça­da em 2008, o “Vaca Móvel”. Tra­ta-se de um veí­cu­lo equi­pa­do para aná­li­se do lei­te que vai às pro­pri­e­da­des rurais, levan­do até os pro­du­to­res, prin­ci­pal­men­te da agri­cul­tu­ra fami­li­ar, tec­no­lo­gia à qual antes eles não teri­am aces­so, caso tives­sem que bus­car por con­ta pró­pria os labo­ra­tó­ri­os especializados.

Outra ini­ci­a­ti­va de levar conhe­ci­men­to e tec­no­lo­gi­as aos pro­du­to­res é a do Ins­ti­tu­to de Zootecnia/Apta, com o Labo­ra­tó­rio Móvel. No local em que ele esti­ver, faz aná­li­ses de amos­tras de lei­te, enquan­to os pro­du­to­res assis­tem a pales­tras téc­ni­cas impor­tan­tes para incre­men­tar a qua­li­da­de da sua produção.

O lan­ça­men­to do Vaca Móvel ocor­reu no muni­cí­pio de Votu­po­ran­ga, no inte­ri­or de São Pau­lo, região onde o IBS – orga­ni­za­ção da soci­e­da­de civil sem fins lucra­ti­vos sedi­a­da em Pira­ci­ca­ba – exe­cu­ta­va um pro­je­to com o Sebrae/SP, vol­ta­do ao desen­vol­vi­men­to da pecuá­ria lei­tei­ra. Hoje a “inven­ção” já se espa­lhou pelo País, ampli­an­do par­ce­ri­as com pre­fei­tu­ras, asso­ci­a­ções, coo­pe­ra­ti­vas e órgãos como o Ser­vi­ço Naci­o­nal de Apren­di­za­gem Rural (Senar).

Ini­ci­al­men­te, as pro­pri­e­da­des rece­bi­am a visi­ta de um con­sul­tor espe­ci­a­li­za­do (médi­co vete­ri­ná­rio, zoo­tec­nis­ta ou enge­nhei­ro agrô­no­mo) que fazia o tes­te de qua­li­da­de do lei­te num labo­ra­tó­rio móvel. A mai­or par­te do resul­ta­do dos tes­tes era entre­gue no momen­to da visi­ta, quan­do o pro­du­tor tam­bém já rece­bia as reco­men­da­ções para os ajus­tes necessários.

Para continuar lendo, assine nossa revista