Melho­rar o desem­pe­nho do reba­nho lei­tei­ro é um desa­fio que faz par­te do dia a dia da pro­du­ção de lei­te. E este desa­fio esbar­ra em limi­ta­ções no con­su­mo, ou seja, nos ali­men­tos dis­po­ní­veis para os ani­mais não exis­tem quan­ti­da­des sufi­ci­en­tes dos ami­noá­ci­dos meti­o­ni­na e lisi­na para a pro­du­ção lei­tei­ra (volu­me e com­po­nen­tes do lei­te).

Estu­dos recen­tes estu­dos demons­tra­ram tam­bém o efei­to bené­fi­co da suple­men­ta­ção de ami­noá­ci­dos nos índi­ces repro­du­ti­vos, prin­ci­pal­men­te pro­por­ci­o­nan­do uma menor per­da de pre­nhez entre 30 e 60 dias quan­do com­pa­ra­do aos ani­mais que não foram suple­men­ta­dos.

A impor­tân­cia do ami­noá­ci­do meti­o­ni­na é mais conhe­ci­da no mer­ca­do, porém o segun­do prin­ci­pal limi­tan­te da pro­du­ção é o ami­noá­ci­do lisi­na, e assim como a meti­o­ni­na, esta tam­bém deve ser suple­men­ta­da para mai­or e melhor desem­pe­nho ani­mal, expli­ca o médi­co vete­ri­ná­rio geren­te de Pro­du­tos para Rumi­nan­tes da Kemin na Amé­ri­ca do Sul, Fer­nan­do Bra­ga.

“Esta­mos lan­çan­do a mais nova e exclu­si­va tec­no­lo­gia para o ami­noá­ci­do lisi­na no mer­ca­do. Este pro­du­to pos­sui uma tec­no­lo­gia GEM de encap­su­la­men­to que pro­por­ci­o­na a mai­or bio­dis­po­ni­bi­li­da­de intes­ti­nal do mer­ca­do com 45%. Sua efi­ci­ên­cia che­ga a ser mais que o dobro da dis­po­ni­bi­li­da­de dis­po­ní­vel hoje no mer­ca­do”, refor­ça o espe­ci­a­lis­ta.

Rolar para cima