Jersolanda reduz emissões de GEE - Balde Branco

A raça mes­ti­ça apre­sen­tou menor emis­são de gases de efei­to estu­fa por qui­lo de lei­te pro­du­zi­do que a Holan­de­sa, segun­do expe­ri­men­to da Embrapa


Gise­le Rosso

Vacas Jer­so­lan­das, resul­ta­do do cru­za­men­to entre ani­mais das raças Jer­sey e Holan­de­sa, apre­sen­ta­ram menor emis­são de gases de efei­to estu­fa (GEE) em com­pa­ra­ção à raça Holan­de­sa. Foi o que mos­trou uma pes­qui­sa rea­li­za­da na Embra­pa Pecuá­ria Sudes­te, de São Car­los-SP. “A Jer­so­lan­da teve menor emis­são por vaca e por qui­lo de lei­te produzido,este últi­mo, medi­do no perío­do de um ano de expe­ri­men­to”, infor­ma a coor­de­na­do­ra do estu­do, pes­qui­sa­do­ra Patrí­cia Anchão.

A ava­li­a­ção de emis­sões foi rea­li­za­da entre vacas em lac­ta­ção das duas raças em dois sis­te­mas de pas­te­jo dife­ren­tes: exten­si­vo com bai­xa taxa de lota­ção e inten­si­vo irri­ga­do com taxa de lota­ção alta. Ao todo, foram obser­va­das 24 vacas lei­tei­ras: meta­de de cada raça e as ava­li­a­ções foram con­du­zi­das duran­te o perío­do total de duas lac­ta­ções, de 300 dias. As medi­ções foram fei­tas três vezes duran­te cada perío­do de lac­ta­ção, no inverno,primavera e verão.

Tan­to no sis­te­ma exten­si­vo como no inten­si­vo, a raça Jer­so­lan­da apre­sen­tou menor emis­são de GEE ao dia. Con­si­de­ran­do-se o balan­ço de car­bo­no, a Jer­so­lan­da emi­tiu entre 9% e 13% menos meta­no que a Holan­de­sa, depen­den­do do grau de inten­si­fi­ca­ção dos pique­tes. Além dis­so, em rela­ção à capa­ci­da­de de lota­ção, é pos­sí­vel ter uma vaca a mais por hectare,em com­pa­ra­ção com a Holandesa.

De acor­do com Patrí­cia, embo­ra a pro­du­ção de lei­te não tenha demons­tra­do dife­ren­ça entre as duas raças, ambas man­ti­ve­ram média de 25 kg/dia, a emis­são de meta­no da Jer­so­lan­da foi menor por qui­lo de lei­te pro­du­zi­do em uma das lac­ta­ções ava­li­a­das. Mes­mo assim, a pes­qui­sa­do­ra des­ta­ca que as emis­sões das vacas Holan­de­sas estão pró­xi­mas das obser­va­das em outros paí­ses, em tor­no de 18 g de meta­no emi­ti­do para cada kg de lei­te produzido.

A pes­qui­sa ain­da esti­mou a quan­ti­da­de neces­sá­ria de árvo­res para neu­tra­li­zar a emis­são por kg de lei­te pro­du­zi­do por hectare.Em sis­te­mas intensivos,seriam neces­sá­ri­as cer­ca de 40 árvo­res para neu­tra­li­zar as emis­sões de uma vaca Jer­so­lan­da. Já no caso da Holan­de­sa, o pro­du­tor teria que plan­tar 12 árvo­res a mais, no total de 52, para ocor­rer a neutralização.

 

Leia a ínte­gra des­ta maté­ria na edi­ção Bal­de Bran­co 629, de mar­ço 2017

Rolar para cima