IZ comprova aumento da produtividade de vacas leiteiras que recebem carinho - Balde Branco

De acor­do com a pes­qui­sa­do­ra do IZ, Leni­ra El Faro Zadra, o aumen­to de pro­du­ção para as vacas que rece­be­ram o tra­ta­men­to de esti­mu­la­ção tátil foi de 2kg de leite/dia. Um resul­ta­do ain­da mais inte­res­san­te foi que o lei­te reti­do pela vaca (ou lei­te resi­du­al) foi 16% nas vacas que não rece­be­ram o tra­ta­men­to em rela­ção aos 8,5% das que rece­be­ram. “Isso repre­sen­ta mais lei­te para as vacas que rece­be­ram esti­mu­la­ção tátil e dimi­nui a chan­ce de ocor­rên­cia de mas­ti­te devi­do à reten­ção de lei­te”, afir­ma a pesquisadora

Instituto de Zootecnia comprova aumento da produtividade de vacas leiteiras que recebem carinho 

Apri­mo­rar cons­tan­te­men­te as pes­qui­sas no cam­po do bem-estar, tem­pe­ra­men­to e pro­du­ti­vi­da­de ani­mal é uma das metas do Ins­ti­tu­to de Zoo­tec­nia (IZ-APTA), da Secre­ta­ria de Agri­cul­tu­ra e Abas­te­ci­men­to do Esta­do de São Pau­lo. Recen­te­men­te, estu­dos com zebuí­nos, como a raça Gir Lei­tei­ro, reve­lam que algu­mas téc­ni­cas podem auxi­li­ar a des­ven­dar o com­por­ta­men­to na sala de orde­nha, melho­ran­do o bem-estar e aumen­tan­do até mes­mo a produtividade.

De acor­do com a pes­qui­sa­do­ra do IZ, Leni­ra El Faro Zadra, a esti­mu­la­ção tátil, o cari­nho, no pré-par­to dos ani­mais, por exem­plo, trou­xe a melho­ria no tem­pe­ra­men­to, com­por­ta­men­to das vacas e índi­ces pro­du­ti­vos, per­mi­tin­do uma visão mai­or do que seria pos­sí­vel alcan­çar via sele­ção gené­ti­ca. “Nes­se pro­je­to, tan­to as dosa­gens de cor­ti­sol quan­to de oci­to­ci­na foram medi­das no lei­te das vacas. Isso pode per­mi­tir no futu­ro, a rea­li­za­ção de estu­dos em popu­la­ções mai­o­res, visan­do a sele­ção gené­ti­ca de ani­mais com melhor tem­pe­ra­men­to, o que faci­li­ta­ria a orde­nha e o mane­jo nas pro­pri­e­da­des”, afirma.

Segun­do Leni­ra, o aumen­to de pro­du­ção para as vacas que rece­be­ram o tra­ta­men­to de esti­mu­la­ção tátil foi de 2kg de leite/dia. Um resul­ta­do ain­da mais inte­res­san­te foi que o lei­te reti­do pela vaca (ou lei­te resi­du­al) foi 16% nas vacas que não rece­be­ram o tra­ta­men­to em rela­ção aos 8,5% das que rece­be­ram. “Isso repre­sen­ta mais lei­te para as vacas que rece­be­ram esti­mu­la­ção tátil e dimi­nui a chan­ce de ocor­rên­cia de mas­ti­te devi­do à reten­ção de lei­te”, afir­ma a pesquisadora.

No estu­do do IZ, ani­mais da raça Gir foram sub­me­ti­dos a dois expe­ri­men­tos: um deles para ava­li­ar o efei­to do trei­na­men­to de roti­na de orde­nha em novi­lhas e o outro o efei­to do estí­mu­lo tátil posi­ti­vo em novi­lhas pri­mí­pa­ras e vacas mul­tí­pa­ras no cor­re­dor do cur­ral, ava­li­an­do as carac­te­rís­ti­cas de com­por­ta­men­to, nível de cor­ti­sol, libe­ra­ção de oxi­to­ci­na, expres­são dos recep­to­res cha­ve de eje­ção de lei­te e rendimento. 

Há um inte­res­se cres­cen­te, segun­do os pes­qui­sa­do­res, na apri­mo­ra­ção da inte­ra­ção huma­no-ani­mal com a fina­li­da­de de melho­rar a efi­ci­ên­cia do ani­mal, faci­li­tan­do o mane­jo, além de incluir o con­cei­to de bem-estar nas pro­pri­e­da­des rurais. 

O con­jun­to de com­por­ta­men­tos dos ani­mais em rela­ção ao homem, nor­mal­men­te atri­buí­do ao medo, deter­mi­na sua agres­si­vi­da­de, agi­li­da­de, doci­li­da­de, rea­ti­vi­da­de e tei­mo­sia, e que recen­te­men­te se tor­nou um tema de inte­res­se na pro­du­ção animal. 

Fon­te: Ins­ti­tu­to de Zoo­tec­nia (IZ-APTA)