Evento traz expressivo grupo de produtores que mostram os desafios do leite 4.0 e casos marcantes de sucesso de pequenas propriedades

Luiz H. Pitom­bo

 

Com assí­dua pla­teia de apro­xi­ma­da­men­te 700 ins­cri­tos, o Inter­lei­te Sul 2019 apre­sen­tou mui­tas idei­as e pos­si­bi­li­da­des aos pro­du­to­res e téc­ni­cos pre­sen­tes, vin­dos de San­ta Cata­ri­na, Para­ná e Rio Gran­de do Sul, sen­do que este últi­mo envi­ou a mai­or dele­ga­ção dos três esta­dos, para o even­to que ocor­reu em Cha­pe­có-SC, entre 8 e 9 de abril.

“Tam­bém con­ta­mos com dele­ga­ção do Mato Gros­so e de téc­ni­cos do Para­guai”, acres­cen­ta Mar­ce­lo Perei­ra de Car­va­lho, CEO da Agri­pont, pro­mo­to­ra do encon­tro. Como em outros anos, indi­ca a for­te pre­sen­ça de téc­ni­cos, que bus­cam infor­ma­ções a serem apli­ca­das em suas áre­as de atu­a­ção jun­to aos pecu­a­ris­tas.

Den­tro da pro­gra­ma­ção,  rela­ta ele, foram incluí­dos temas não usu­ais, como  a  manei­ra como o con­su­mi­dor enxer­ga o setor lei­tei­ro. Igual­men­te hou­ve espa­ço para o bem-estar ani­mal; pro­du­ção inte­gra­da no lei­te, que se ini­cia em coo­pe­ra­ti­va do Para­ná, e os desa­fi­os da cha­ma­da pecuá­ria 4.0.

As pales­tras igual­men­te abor­da­ram for­mas para se obter sila­gem de qua­li­da­de; a apli­ca­ção de tec­no­lo­gi­as de pon­ta como tam­bém as mais sim­ples, mas que tra­zem óti­mos resul­ta­dos. Estas con­ta­ram com mar­can­tes depoi­men­tos de peque­nos pro­du­to­res que supe­ra­ram difi­cul­da­des e impul­si­o­na­ram sua pro­du­ção e ren­da. A ênfa­se no seg­men­to se jus­ti­fi­ca, pois é for­te a pre­sen­ça da pro­du­ção fami­li­ar na Região Sul, que pas­sou a acu­mu­lar os mai­o­res volu­mes de lei­te pro­du­zi­dos no País. Além dis­so, casos de gran­des pro­pri­e­da­des tam­bém foram apre­sen­ta­dos.

 


Leia a ínte­gra des­ta maté­ria na edi­ção Bal­de Bran­co 654 (junho/2019)

Rolar para cima