Setor, que estava atrás em sua organização e evolução em relação a outras atividades, agora muda sua disposição
Luiz H. Pitombo

 

O melhor entro­sa­men­to entre pro­du­to­res e indús­tria com trans­pa­rên­cia, boa ges­tão e tec­no­lo­gia é uma neces­si­da­de para a evo­lu­ção do setor lác­teo, quer para que todos cres­çam nos negó­ci­os como para aten­der aos con­su­mi­do­res inter­nos e exter­nos.

Esta foi uma das pre­o­cu­pa­ções cen­trais do Inter­lei­te Bra­sil 2019, que con­tou com a par­ti­ci­pa­ção de alguns dos mai­o­res lati­cí­ni­os do País e de impor­tan­tes pro­du­to­res de lei­te, reu­ni­dos em Uber­lân­dia-MG, entre 7 e 8 de agos­to. O públi­co de 940 pre­sen­tes trou­xe diver­si­da­de e mes­clou vete­ra­nos no negó­cio, coo­pe­ra­ti­vas, empre­sas e jovens empre­en­de­do­res.

Mar­ce­lo Perei­ra de Car­va­lho, CEO do Agri­point, pro­mo­tor do even­to, res­sal­ta que o setor tem avan­ça­do em sua orga­ni­za­ção, que os con­su­mi­do­res ampli­am e diver­si­fi­cam seus hábi­tos e que indús­tria e pro­du­to­res pre­ci­sam ofe­re­cer res­pos­tas a essas deman­das. “É pre­ci­so tra­ba­lhar melhor a rela­ção produtor/indústria”, enfa­ti­za. Sobre a pro­gra­ma­ção dos dois dias de tra­ba­lho, ava­lia que foi a mais com­ple­ta e uni­for­me em seu con­teú­do que já teve a opor­tu­ni­da­de de orga­ni­zar. Além dos pales­tran­tes bra­si­lei­ros, esti­ve­ram repre­sen­ta­dos Chi­na, Nova Zelân­dia, Argen­ti­na e EUA.

Ao falar na aber­tu­ra do encon­tro em nome da asso­ci­a­ção Viva Lác­te­os, que reú­ne 36 indús­tri­as e enti­da­des do setor, Mar­ce­lo Cos­ta Mar­tins afir­mou que a indús­tria enfren­ta o desa­fio de se pre­pa­rar e se orga­ni­zar para a expor­ta­ção e com pro­du­tos de mai­or valor agre­ga­do. “Mas para atin­gir isso todos pre­ci­sa­rão tra­ba­lhar em con­jun­to, cons­truin­do um ambi­en­te de mai­or com­pe­ti­ti­vi­da­de”, enfa­ti­za.


Leia a ínte­gra des­ta maté­ria na edi­ção Bal­de Bran­co 657 (setembro/2019)

Rolar para cima