Instituto Biológico (IB-APTA) ampliou em 31% sua produção de imunobiológicos em 2021 - Balde Branco

 Os imu­no­bi­o­ló­gi­cos pro­du­zi­dos pelo IB aten­dem ao Pro­gra­ma Naci­o­nal de Con­tro­le e Erra­di­ca­ção de Bru­ce­lo­se e Tuber­cu­lo­se Ani­mal (PNCEBT). Sem esses insu­mos, o trân­si­to naci­o­nal e inter­na­ci­o­nal de ani­mais fica proibido

Instituto Biológico (IB-APTA) ampliou em 31% sua produção de imunobiológicos em 2021 

O Ins­ti­tu­to Bio­ló­gi­co (IB-APTA), da Secre­ta­ria de Agri­cul­tu­ra e Abas­te­ci­men­to do Esta­do de São Pau­lo, ampli­ou em 31% sua pro­du­ção de imu­no­bi­o­ló­gi­cos em 2021, pro­du­tos usa­dos para o diag­nós­ti­co de bru­ce­lo­se e tuber­cu­lo­se em ani­mais. Os imu­no­bi­o­ló­gi­cos pro­du­zi­dos pelo IB aten­dem ao Pro­gra­ma Naci­o­nal de Con­tro­le e Erra­di­ca­ção de Bru­ce­lo­se e Tuber­cu­lo­se Ani­mal (PNCEBT). Sem esses insu­mos, o trân­si­to naci­o­nal e inter­na­ci­o­nal de ani­mais fica proibido.

Em 2021, o IB pro­du­ziu 7,1 milhões de doses de imu­no­bi­o­ló­gi­cos, um aumen­to de 31% em rela­ção a 2020, quan­do foram pro­du­zi­das 5,4 milhões, e um acrés­ci­mo de 57% em rela­ção a 2019. Na últi­ma déca­da, o IB ampli­ou em 236% sua pro­du­ção des­ses insumos.
 
O sal­to foi pos­sí­vel a par­tir dos inves­ti­men­tos rece­bi­dos pelo Ins­ti­tu­to nos últi­mos anos da Fun­da­ção de Ampa­ro à Pes­qui­sa do Esta­do de São Pau­lo (FAPESP), por meio do Pla­no de Desen­vol­vi­men­to Ins­ti­tu­ci­o­nal em Pes­qui­sa (PDIP).
 
Des­de maio de 2021, o Ins­ti­tu­to dis­po­ni­bi­li­za ao mer­ca­do duas opções de fras­cos, uma com menos dose e outra com o núme­ro tra­di­ci­o­nal. Com isso, é pos­sí­vel encon­trar no mer­ca­do AAT, antí­ge­no para diag­nós­ti­co da bru­ce­lo­se, com 160 e 64 doses, Pro­va Len­ta de 60 e 24 doses, além das Tuber­cu­li­nas Bovi­na e Aviá­ria de 50 e 20 doses.
 
O IB, em 2020, tam­bém aumen­tou o pra­zo de vali­da­de dos fras­cos de tuber­cu­li­na para tri­a­gem e con­fir­ma­tó­rio de tuber­cu­lo­se, que pas­sa­ram a ter dois anos, o dobro do que era dis­po­ni­bi­li­za­do ante­ri­or­men­te. Para o AAT, o aumen­to na vali­da­de foi de seis meses, pas­san­do de 12 para 18 meses.
Fon­te: Secre­ta­ria de Agri­cul­tu­ra e Abas­te­ci­men­to do Esta­do de São Paulo