Estu­do sobre acu­rá­cia das pla­cas com meio de cul­tu­ra cro­mo­gê­ni­co foi publi­ca­do no J.Dairy Sci­en­ce pro­por­ci­o­nan­do reco­nhe­ci­men­to inter­na­ci­o­nal e a con­quis­ta do selo empre­sa ami­ga do bem-estar animal

 

Inovação da OnFarm é validada internacionalmente 

A tec­no­lo­gia é uma impor­tan­te par­cei­ra do cam­po, por isso, a medi­ci­na vete­ri­ná­ria tem bus­ca­do for­mas de se rein­ven­tar con­ti­nu­a­men­te uti­li­zan­do a ino­va­ção e a ciên­cia como ali­a­das. No caso da pecuá­ria lei­tei­ra, a mas­ti­te é uma das pato­lo­gi­as mais pre­va­le­cen­tes e com um gran­de poten­ci­al de inter­fe­rir de for­ma nega­ti­va no bem-estar e no desem­pe­nho dos animais.

Cien­tes des­te desa­fio e ten­do como pro­pó­si­to auxi­li­ar os pro­du­to­res, a OnFarm desen­vol­veu um sis­te­ma úni­co e ino­va­dor que per­mi­te a iden­ti­fi­ca­ção do agen­te cau­sa­dor da mas­ti­te em 24h, na pró­pria fazen­da, por meio da cul­tu­ra microbiológica.

A solu­ção da star­tup uti­li­za pla­cas com meio de cul­tu­ra cro­mo­gê­ni­cos que pro­por­ci­o­nam uma rápi­da iden­ti­fi­ca­ção de micror­ga­nis­mos iso­la­dos de vacas com mas­ti­te clí­ni­ca e sub­clí­ni­ca. Essa meto­do­lo­gia foi tema de um estu­do publi­ca­do no reno­ma­do Jour­nal of Dairy Sci­en­ce, com o títu­lo de “Eva­lu­a­ti­on of chro­mo­ge­nic cul­tu­re media for rapid iden­ti­fi­ca­ti­on of micro­or­ga­nisms iso­la­ted from cows with cli­ni­cal and sub­cli­ni­cal mas­ti­tes”, rea­fir­man­do a cul­tu­ra ino­va­do­ra da empre­sa e seu com­pro­mis­so com o desen­vol­vi­men­to científico.

As pla­cas de cul­tu­ra com mei­os cro­mo­gê­ni­cos da OnFarm foram ela­bo­ra­das com o obje­ti­vo de ser uma fer­ra­men­ta de fácil uti­li­za­ção pela pró­pria fazen­da, com diag­nós­ti­cos rápi­do e pre­ci­so, o que faci­li­ta e agi­li­za a toma­da de deci­são sobre os pro­to­co­los de tra­ta­men­to a serem adotados.

“Ter­mos a vali­da­ção das pla­cas SmartColor2 publi­ca­do em uma das melho­res revis­tas cien­tí­fi­cas do mun­do, refor­ça o nos­so com­pro­mis­so com a ciên­cia. Ela é a base para que pos­sa­mos ofe­re­cer ao mer­ca­do uma tec­no­lo­gia que empo­de­re o pro­du­tor na sua toma­da de deci­são. Des­ta­co ain­da que este é o úni­co meio de cul­tu­ra cro­mo­gê­ni­co bra­si­lei­ro com vali­da­ção em revis­ta inter­na­ci­o­nal, o que refor­ça a impor­tân­cia do estu­do”, deta­lha o CEO da OnFarm, Laer­te Cas­so­li.
Ao uti­li­zar um méto­do vali­da­do cien­ti­fi­ca­men­te e que pro­por­ci­o­na a rápi­da iden­ti­fi­ca­ção do agen­te cau­sa­dor da mas­ti­te, o pro­du­tor con­se­gue ter uma toma­da de deci­são base­a­da em dados, que per­mi­te a ado­ção de estra­té­gi­as efi­ci­en­tes para o tra­ta­men­to e con­tro­le da patologia.

A publi­ca­ção cien­tí­fi­ca tam­bém con­tri­buiu para uma outra impor­tan­te con­quis­ta da star­tup: o selo de Empre­sa Ami­ga do Bem-Estar Ani­mal, emi­ti­do pelo movi­men­to #Beba­Mais­Lei­te, em par­ce­ria com a con­sul­to­ria neo­ze­lan­de­sa QConz. As empre­sas cer­ti­fi­ca­das pas­sam por uma ava­li­a­ção rigo­ro­sa, com obje­ti­vo de ana­li­sar as  solu­ções ofe­re­ci­das, sua apli­ca­bi­li­da­de, rele­vân­cia, efi­ci­ên­cia e, prin­ci­pal­men­te, sua con­tri­bui­ção para a manu­ten­ção do bem-estar ani­mal no campo.

“Pos­suir solu­ções que pro­mo­vam o bem-estar ani­mal e con­tri­bu­am para a evo­lu­ção e for­ta­le­ci­men­to da cadeia é um gran­de dife­ren­ci­al atu­al­men­te para as empre­sas. As star­tups impul­si­o­nam, de manei­ra mui­to mais rápi­da e ágil, as ino­va­ções e, por­tan­to, tê-las no pro­gra­ma, é estra­té­gi­co e fun­da­men­tal para  avan­çar­mos”, decla­ra a  dire­to­ra de cer­ti­fi­ca­ções da #Beba­Mais­Lei­te, Hele­na Karsburg

Um dos pro­pó­si­tos da OnFarm é fomen­tar ini­ci­a­ti­vas que esti­mu­lem a apli­ca­ção do con­cei­to no cam­po e , por isso, a cer­ti­fi­ca­ção refor­ça o com­pro­me­ti­men­to da mar­ca com o bem-estar ani­mal. “ Somos a pri­mei­ra empre­sa do mer­ca­do bra­si­lei­ro a pos­suir a cer­ti­fi­ca­ção em bem-estar ani­mal. Na prá­ti­ca, isso garan­te aos pro­du­to­res que o sis­te­ma é o úni­co que aten­de a todos os requi­si­tos téc­ni­cos, ten­do um rigo­ro­so sis­te­ma de con­tro­le que pas­sa pela vali­da­ção dos mei­os de cul­tu­ra, ges­tão das infor­ma­ções e tam­bém pelo trei­na­men­to e capa­ci­ta­ção dos usuá­ri­os”, afir­ma Laerte.

Fon­te: Asses­so­ria de Comu­ni­ca­ção da OnFarm

Rolar para cima