Importação volta a apresentar leve alta - Balde Branco

Em novem­bro, a balan­ça comer­ci­al seguiu apre­sen­tan­do sal­do nega­ti­vo, com valor nega­ti­vo de US$ 38,5 milhões, ape­sar da alta no volu­me de pro­du­tos lác­te­os expor­ta­dos de 8,1% e 41,6% em valor. O lei­te em pó inte­gral foi o prin­ci­pal pro­du­to res­pon­sá­vel por essa alta, que teve um volu­me expor­ta­do 147% mai­or que o mês ante­ri­or, sen­do prin­ci­pal­men­te des­ti­na­do à Venezuela.

Refe­ren­te às impor­ta­ções, o volu­me subiu 6,8% em rela­ção a outu­bro, resul­tan­do em 20,7 mil t. O valor foi de US$ 62,4 milhões. O lei­te em pó inte­gral teve volu­me impor­ta­do de 9,7 mil t em outu­bro. Tam­bém foram impor­ta­das 3,4 mil t de lei­te em pó des­na­ta­do; 1,8 mil t de soro de lei­te. A impor­ta­ção de quei­jos foi a que apre­sen­tou menor vari­a­ção de volu­me den­tre os prin­ci­pais pro­du­tos, ten­do 4,5 mil t do pro­du­to, volu­me 0,8% supe­ri­or ao mês anterior.

Rolar para cima