Girolando avança em produtividade - Balde Branco

A genética Girolando tem tido grande demanda de criadores de países da América Latina e Central

GENÉTICA

GIROLANDO AVANÇA

EM PRODUTIVIDADE

Graças ao uso das ferramentas de melhoramento genético, nos últimos 20 anos, a raça saltou de uma média de 2 mil litros de leite por vaca ano para 6 mil litros/vaca/ano

Erick Henrique

Estag­na­ção é uma coi­sa que não exis­te no uni­ver­so da raça Giro­lan­do. A cada ano, a Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra dos Cri­a­do­res, os pes­qui­sa­do­res da Embra­pa, das uni­ver­si­da­des, a ini­ci­a­ti­va pri­va­da e os pro­du­to­res somam for­ças para solu­ci­o­nar este enor­me que­bra-cabe­ça da pecuá­ria lei­tei­ra: mai­or efi­ci­ên­cia do reba­nho, em um menor espa­ço de tem­po, por meio da uti­li­za­ção das tec­no­lo­gi­as de melho­ra­men­to genético.

Até o momen­to, segun­do o pre­si­den­te da asso­ci­a­ção, Odi­lon de Rezen­de Bar­bo­sa Filho, o melho­ra­men­to ani­mal pro­pi­ci­ou uma evo­lu­ção fan­tás­ti­ca para o reba­nho Girolando.

“Gra­ças ao Pro­gra­ma de Melho­ra­men­to Gené­ti­co Giro­lan­do (PMGG), as vacas saí­ram de uma média de pro­du­ção de menos de 2 mil qui­los de lei­te por vaca por ano para uma raça capaz de pro­du­zir 6 mil kg/vaca/ano. É cla­ro que os ganhos com as melho­ri­as de mane­jo, ins­ta­la­ções, bem-estar ani­mal, etc., tive­ram sua par­ce­la de con­tri­bui­ção, mas o PMGG foi fun­da­men­tal para que nós pro­du­to­res con­se­guís­se­mos esses resul­ta­dos nos últi­mos 20 anos.”

Para continuar lendo, assine nossa revista

Rolar para cima