Girolando anuncia projeto a partir de seleção genômica - Balde Branco

No últi­mo dia 28 de novem­bro foi lan­ça­do, em Ube­ra­ba- MG, o Pro­je­to Bra­zi­li­an Giro­lan­do, que visa con­quis­tar o mer­ca­do inter­na­ci­o­nal com a ofer­ta de gené­ti­ca da raça


Por Laris­sa Vieira

A sele­ção genô­mi­ca, tec­no­lo­gia que per­mi­te ace­le­rar o melho­ra­men­to gené­ti­co dos reba­nhos bovi­nos, aca­ba de ser incor­po­ra­da ao Pro­gra­ma de Melho­ra­men­to Gené­ti­co da Raça Giro­lan­do (PMGG). Com essa ino­va­ção, a Giro­lan­do é a pri­mei­ra raça bovi­na lei­tei­ra bra­si­lei­ra a inse­rir uma fer­ra­men­ta genô­mi­ca para uso no pro­ces­so de sele­ção de tou­ros, fême­as jovens e vacas. Esta é a pro­pos­ta anun­ci­a­da no últi­mo dia 28 de novem­bro, em Ube­ra­ba-MG, com o lan­ça­men­to do Pro­je­to Bra­zi­li­an Giro­lan­do, pelo pre­si­den­te da asso­ci­a­ção da raça, Jôna­dan Ma.

O Pro­je­to Geno­ma vem sen­do de­senvolvido pela Embra­pa Gado de Lei­te, Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra dos Cri­a­do­res de Giro­lan­do e o con­sór­cio CRV Lagoa/Zoetis, des­de 2013, por meio de um Con­tra­to de Par­ce­ria em Pes­qui­sa e Desen­vol­vi­men­to Agro­pe­cuá­rio, oriun­do de um “Chamamen­to Públi­co”. Este mode­lo é úni­co e pio­nei­ro para raças lei­tei­ras no Bra­sil e no mun­do, pois todos os pro­ce­di­men­tos de ava­li­a­ção genô­mi­ca e o per­fil genético/fenotípico do ani­mal, exce­to a geno­ti­pa­gem, serão rea­li­za­dos no País.

Para o che­fe geral da Embra­pa Gado de Lei­te, Pau­lo do Car­mo Mar­tins, essa ino­va­ção é um divi­sor de águas na pesqui­sa gené­ti­ca em prol do aumen­to da produ­tividade do reba­nho lei­tei­ro bra­si­lei­ro. “Es­tamos entre­gan­do poten­ci­al de gera­ção de rique­za para o Bra­sil e os bra­si­lei­ros, com ele­va­do impac­to econô­mi­co e ambi­en­tal. Com esta nova tec­no­lo­gia é pos­sí­vel pro­duzir mais lei­te pre­ser­van­do ter­ra e água, pois os ani­mais serão mais pro­du­ti­vos. E isso é o que o mun­do pre­ci­sa”, diz Martins.

Os pri­mei­ros ani­mais da raça genotipa­dos foram os 67 repro­du­to­res par­ti­ci­pan­tes da 5ª Pro­va de Pré-Sele­ção de Tou­ros, que estão alo­ja­dos no Cen­tro de Per­for­man­ce Giro­lan­do, no cam­pus do IFTM-Ins­ti­tu­to Fede­ral de Edu­ca­ção, Ciên­cia e Tec­no­lo­gia do Tri­ân­gu­lo Minei­ro, em Ube­ra­ba-MG. O valor genô­mi­co des­ses tou­ros será um dos cri­té­ri­os para defi­nir quais exem­pla­res se­rão clas­si­fi­ca­dos para o tes­te de pro­gê­nie da raça Giro­lan­do. Eles tam­bém pas­sa­rão por ava­li­a­ções refe­ren­tes à fer­ti­li­da­de, tem­pe­ra­men­to e con­for­ma­ção. O resul­ta­do da 5ª Pro­va de Pré-Sele­ção de Tou­ros será divul­ga­do no final de abril do pró­xi­mo ano.

Os estu­dos sobre o geno­ma da raça Giro­lan­do ini­ci­a­ram em 2011, dois anos após a revis­ta Sci­en­ce noti­ci­ar o sequen­ciamento do geno­ma bovi­no, ação que envol­veu cer­ca de 300 pes­qui­sa­do­res do mun­do intei­ro (inclu­si­ve, da Embra­pa Gado de Lei­te). Duran­te o pro­je­to, cer­ca de 5.500 ani­mais Giro­lan­do foram geno­ti­pa­dos com dife­ren­tes tipos de pai­néis de mar­ca­do­res de DNA e, tam­bém, três tou­ros da raça foram sequenciados.

Um dos ani­mais sequen­ci­a­dos foi o tou­ro ‘IPA Boche­cho’ (Giro­lan­do Puro Sin­té­ti­co — PS), per­ten­cen­te à Empre­sa Per­nam­bu­ca­na de Pes­qui­sa Agro­pe­cuá­ria-IPA. O ani­mal vem de uma linha­gem de vári­as gera­ções de PS e está ins­cri­to no pro­gra­ma de melho­ra­men­to da raça. A pes­qui­sa teve a coor­de­na­ção do pes­qui­sa­dor da Embra­pa Gado de Lei­te, Mar­cos Viní­cius Bar­bo­sa da Sil­va, que tam­bém é res­pon­sá­vel pelas ava­li­a­ções gené­ti­cas do PMGG, e con­tou com a par­ti­ci­pa­ção dos pes­qui­sa­do­res Mar­ta Mar­tins, Mar­co Anto­nio Macha­do, João Cláu­dio Panet­to e Dani­e­le Reis.

Como fun­ci­o­na a sele­ção genô­mi­ca — A nova tec­no­lo­gia per­mi­ti­rá a sele­ção para carac­terísticas pro­du­ti­vas e repro­du­ti­vas. Para obter essas infor­ma­ções o pri­mei­ro pas­so é a cole­ta de amos­tra de teci­do bio­ló­gi­co do ani­mal (pelo) para extra­ção do DNA; em segui­da, é fei­ta a geno­ti­pa­gem atra­vés de mar­ca­do­res do tipo SNPs (um tipo de mar­ca­dor mole­cu­lar cuja sigla sig­ni­fi­ca “po­limorfismo de nucle­o­tí­deo único”).

Após a geno­ti­pa­gem, rea­li­za­da pela Zoe­tis, as infor­ma­ções genô­mi­cas são envi­a­das à Embra­pa Gado de Lei­te onde, jun­ta­men­te com o pedi­gree e os fenó­ti­pos obti­dos atra­vés do ban­co de dados da Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra dos Cri­a­do­res de Giro­lan­do, são pro­ces­sa­das, e irão gerar as ava­li­a­ções genô­mi­cas, que serão dis­po­ni­bi­li­za­das aos cri­a­do­res atra­vés de rela­tó­ri­os que irão pre­di­zer os valo­res genô­mi­cos de cada ani­mal testado.

“São infor­ma­ções de alta con­fi­a­bi­li­da­de, que pode­rão auxi­li­ar o pro­du­tor a defi­nir a estra­té­gia de sele­ção de seu reba­nho. É im­portante com­bi­nar esses dados genô­mi­cos com as outras ava­li­a­ções que o PMGG já dis­po­ni­bi­li­za por meio do tes­te de pro­gê­nie e con­tro­le lei­tei­ro para se ter uma sele­ção sus­ten­tá­vel, ali­nha­da com o que o merca­do exi­ge da raça.”, expli­ca o pre­si­den­te da Giro­lan­do, Jôna­dan Ma.

Hoje, as ava­li­a­ções gené­ti­cas da raça são gera­das com base nas infor­ma­ções do tes­te de pro­gê­nie e do con­tro­le lei­tei­ro. A dife­ren­ça é que, enquan­to o tes­te leva em média sete anos para ava­li­ar um tou­ro (sen­do que o resul­ta­do pode ser nega­ti­vo ou posi­ti­vo), com o auxí­lio da genô­mi­ca leva­rá ape­nas dois para con­cluir a aná­li­se, e com mai­or pre­ci­são, pois aumen­ta a confiabilida­de asso­ci­a­da à PTA do animal.

A tec­no­lo­gia per­mi­ti­rá, em um futu­ro bre­ve, que a ava­li­a­ção seja fei­ta antes de o ani­mal nas­cer, por meio da cole­ta de célu­las do embrião. Com isso, o cri­a­dor pode­rá utili­zar ape­nas os embriões com carac­te­rís­ti­cas dese­já­veis nos pro­ces­sos de FIV (fecun­dação in vitro) e trans­fe­rên­cia de embrião. Essa pes­qui­sa está sen­do fina­li­za­da pelos pes­qui­sa­do­res Luiz Sér­gio Camar­go, Cla­ra Sla­de Oli­vei­ra e Mar­cos Vini­cius Bar­bo­sa da Sil­va, da Embra­pa Gado de Leite.

Rolar para cima