Genoma tem bom indicador para fertilidade - Balde Branco

DPR é um indicador da habilidade genética de um animal em melhorar a eficiência reprodutiva, sendo calculado a partir da possibilidade que a filha de um touro tem para emprenhar

FERTILIDADE

Genoma tem bom indicador para

FERTILIDADE

É o que reforça recente estudo brasileiro sobre a taxa de prenhez das filhas (DPR) feito com mais de 3 mil vacas Holandesas de alta produção

Luiz H. Pitombo

Não faz mui­to tem­po que come­ça­ram a sur­gir as pri­mei­ras pes­qui­sas de cam­po asso­ci­an­do aspec­tos da fer­ti­li­da­de das fême­as ao mar­ca­dor mole­cu­lar DPR (daugh­ter preg­nancy rate, em inglês), des­per­tan­do mai­or inte­res­se no assun­to. As melho­res fazen­das que se uti­li­zam da geno­ti­pa­gem e rece­bem essa infor­ma­ção, além de outras a serem empre­ga­das na sele­ção, já estão aten­tas e uti­li­zam este índi­ce. Assim como as cen­trais de inse­mi­na­ção, os médi­cos vete­ri­ná­ri­os e aque­les que estão pre­o­cu­pa­dos com a esfe­ra reprodutiva.

“Nin­guém faz sele­ção por uma carac­te­rís­ti­ca iso­la­da, mas esta­mos cha­man­do a aten­ção com os dados que levan­ta­mos em nos­so estu­do que a DPR é um mar­ca­dor espe­cí­fi­co de gran­de impac­to na repro­du­ção e que gos­ta­ría­mos que fos­se obser­va­do com mais aten­ção”, ava­lia o médi­co vete­ri­ná­rio José Luiz Vas­con­ce­los, o pro­fes­sor Zequi­nha, da Uni­ver­si­da­de Esta­du­al Pau­lis­ta Júlio de Mes­qui­ta Filho (Unesp-Botu­ca­tu).

Ele par­ti­ci­pou do gru­po de tra­ba­lho que se debru­çou sobre o assun­to jun­to com mais outros qua­tro pes­qui­sa­do­res, três bra­si­lei­ros, sen­do dois resi­den­tes no Cana­dá, e mais um ori­gi­ná­rio daque­le país. O arti­go com esses resul­ta­dos foi enca­mi­nha­do ao reco­nhe­ci­do Jour­nal of Dairy Sci­en­ce, dos Esta­dos Uni­dos, onde foi elo­gi­a­do e deve­rá ser publi­ca­do em bre­ve, con­fir­man­do dados de pes­qui­sas ante­ri­o­res fei­tas no exte­ri­or e tra­zen­do outros iné­di­tos em âmbi­to mundial.

Uma mai­or aten­ção a esse índi­ce no Bra­sil deve­rá acon­te­cer, segun­do apos­ta Vas­con­ce­los, à medi­da que se melho­rar o enten­di­men­to a seu res­pei­to e uso. Resu­mi­da­men­te, a DPR é um indi­ca­dor da habi­li­da­de gené­ti­ca de um ani­mal em melho­rar a efi­ci­ên­cia repro­du­ti­va, sen­do cal­cu­la­do a par­tir da pos­si­bi­li­da­de que a filha de um tou­ro tem para empre­nhar. Assim, esco­lhen­do sêmen de um tou­ro com índi­ce mais ele­va­do se pode­rá con­se­guir fême­as com melhor DPR e mai­or fertilidade.

Prof. Zequinha: “Dados que levantamos em nosso estudo mostram que a DPR é um marcador específico de grande impacto na reprodução e que gostaríamos que fosse observado com mais atenção”

Para continuar lendo, assine nossa revista