Gadolando alerta para prejuízos ao produtor com o mercado de leite spot
Enti­da­de defen­de que ação cau­sa aumen­to da ofer­ta e com­pe­ti­ção com os tra­di­ci­o­nais for­ne­ce­do­res rastreados

Gadolando alerta para prejuízos ao produtor com o mercado de leite spot

Desde o iní­cio da pan­de­mia cau­sa­da pelo Coro­na­ví­rus (Covid-19), a Asso­ci­a­ção dos Cri­a­do­res de Gado Holan­dês do Rio Gran­de do Sul (Gado­lan­do) tem mani­fes­ta­do a pre­o­cu­pa­ção para que o lei­te pro­du­zi­do pelos pro­du­to­res rurais seja reco­lhi­do pelas indús­tri­as. No iní­cio de abril, a enti­da­de este­ve em con­ta­to com os repre­sen­tan­tes das indús­tri­as que garan­ti­ram a manu­ten­ção das ati­vi­da­des jun­to aos produtores.

Segun­do o pre­si­den­te da Gado­lan­do, Mar­cos Tang, em rela­ção aos quei­jos, na sua gran­de mai­o­ria, são des­ti­na­dos a ali­men­ta­ção em Fast Food ou ven­di­dos em peque­nos mer­ca­dos e bei­ra de estra­das, no qual a comer­ci­a­li­za­ção está menor. Assim, a prin­ci­pal des­ti­na­ção do pro­du­to vem sen­do a para comer­ci­a­li­za­ção da bebi­da, na mai­or par­te UHT, bus­can­do fazer todo o fatu­ra­men­to sobre este pro­du­to. “O lei­te fica caro para o con­su­mi­dor e nós, pro­du­to­res, fica­mos na mes­ma, com ris­co de bai­xar os pre­ços”, obser­va.

Para Tang, o fato pode acar­re­tar em dois gran­des pro­ble­mas. O pri­mei­ro é o mer­ca­do de lei­te spot, aque­le que é comer­ci­a­li­za­do entre as indús­tri­as. “Enten­de­mos o deses­pe­ro de quem só fazia quei­jo e não con­se­gue ven­der, porém, acon­te­ce que este lei­te que vai de uma empre­sa para outra é o tal pro­du­to sem ras­tre­a­bi­li­da­de ou com pro­ce­dên­cia de difí­cil con­tro­le, cau­san­do aumen­to da ofer­ta e com­pe­ti­ção com os tra­di­ci­o­nais for­ne­ce­do­res ras­tre­a­dos”, des­ta­ca.

O pre­si­den­te da Gado­lan­do sali­en­ta que a enti­da­de con­ti­nua vigi­lan­te e soli­ci­ta o empe­nho das indús­tri­as para que o reco­lhi­men­to seja man­ti­do. “Não supor­ta­ría­mos ficar sem ven­der nos­so pro­du­to nem mes­mo por alguns dias. Já esta­mos com a seca a nos cas­ti­gar há 6 meses. Pas­sa­da a pan­de­mia con­ti­nu­a­re­mos a nos­sa luta con­tra o lei­te spot. Lei­te deve vir do úbe­re da vaca para o res­fri­a­dor, para o cami­nhão cre­den­ci­a­do do lati­cí­nio onde o pro­du­tor é cadas­tra­do, pas­san­do para indus­tri­a­li­za­ção e comér­cio. Tudo ras­tre­a­do”, fina­li­za o dirigente.

Fon­te: Asses­so­ria de comu­ni­ca­ção da Gadolando

Rolar para cima