Fundag e Comevap celebram acordo para favorecer produtor de leite - Balde Branco

O obje­ti­vo é melho­rar a qua­li­da­de do lei­te na região, bene­fi­ci­an­do ini­ci­al­men­te cer­ca de 300 peque­nos pro­du­to­res asso­ci­a­dos à Come­vap, que pode­rão aumen­tar em pelo menos 30% a sua pro­du­ti­vi­da­de, melho­ran­do a ali­men­ta­ção do rebanho

Fundag e Comevap celebram acordo para favorecer pequeno produtor de leite do Vale do Paraíba (SP)

Da reda­ção 

A  Fun­da­ção de Apoio à Pes­qui­sa Agrí­co­la (Fun­dag), órgão da Secre­ta­ria de Agri­cul­tu­ra e Abas­te­ci­men­to do Esta­do de São Pau­lo, e a Coo­pe­ra­ti­va de Lati­cí­ni­os do Médio Vale do Paraí­ba (Come­vap), que aten­de a mais de 600 pro­du­to­res de lei­te no Vale do Paraí­ba, cele­bra­ram no final de mar­ço, um acor­do de coo­pe­ra­ção para a uti­li­za­ção de uma área de 200 hec­ta­res loca­li­za­da na uni­da­de de Pin­da­mo­nhan­ga­ba da Agên­cia Pau­lis­ta de Tec­no­lo­gia dos Agro­ne­gó­ci­os (APTA). O obje­ti­vo é o plan­tio de três vari­e­da­des de milho que ain­da serão defi­ni­das e as pes­qui­sas de melho­ri­as ou de novas variedades. 

A par­ce­ria públi­co-pri­va­da (PPP) esta­be­le­ce que a Come­vap será a res­pon­sá­vel pela pre­pa­ra­ção do solo, plan­tio, mane­jo e colhei­ta do milho, repas­san­do a sila­gem aos seus asso­ci­a­dos a pre­ço de cus­to. Em con­tra­par­ti­da, des­ti­na­rá par­te da pro­du­ção à ali­men­ta­ção do plan­tel de ani­mais uti­li­za­dos em pes­qui­sas rea­li­za­das den­tro da uni­da­de. O acor­do pre­vê ain­da um pro­je­to de inse­mi­na­ção arti­fi­ci­al com tou­ros ou com o uso de sêmen, poden­do futu­ra­men­te incluir tam­bém a trans­fe­rên­cia de embriões (FIV).

Segun­do o dire­tor téc­ni­co da Uni­da­de Regi­o­nal de Pes­qui­sa e Desen­vol­vi­men­to (URPD), vin­cu­la­da à Apta, Ser­gio Hen­ri­que Canel­lo Schalck, o obje­ti­vo é melho­rar a qua­li­da­de do lei­te na região, bene­fi­ci­an­do ini­ci­al­men­te cer­ca de 300 peque­nos pro­du­to­res asso­ci­a­dos à Come­vap, que pode­rão aumen­tar em pelo menos 30% a sua pro­du­ti­vi­da­de, melho­ran­do a ali­men­ta­ção do rebanho.

Para o pre­si­den­te da Come­vap, Aris­teu Tra­nin, o acor­do vai bene­fi­ci­ar esses peque­nos pro­du­to­res num momen­to de mui­tas difi­cul­da­des. “Os pre­ços dos insu­mos estão mui­to des­fa­vo­rá­veis e está fican­do cada vez mais difí­cil para o pro­du­tor”, afir­ma. A van­ta­gem para a coo­pe­ra­ti­va, segun­do ele, será o incre­men­to da pro­du­ção e con­se­quen­te­men­te da cap­ta­ção de lei­te. “Isso é só come­ço de uma par­ce­ria, vem mais coi­sa por aí”, dis­se ele, se refe­rin­do às pes­qui­sas que serão desen­vol­vi­das na área

Agro­po­lo Vale – A assi­na­tu­ra do acor­do ocor­reu duran­te o lan­ça­men­to do Agro­po­lo Vale, cujo obje­ti­vo é incen­ti­var a trans­for­ma­ção do agro­ne­gó­cio a par­tir a incor­po­ra­ção de tec­no­lo­gi­as e ino­va­ções nos sis­te­mas pro­du­ti­vos e de con­su­mo, com sus­ten­ta­bi­li­da­de econô­mi­ca, soci­al e ambi­en­tal, agre­gan­do valor ao setor.

Duran­te o ato, foi anun­ci­a­da tam­bém a cri­a­ção de um Arran­jo Pro­du­ti­vo Local (APL) do Agro­ne­gó­cio, reu­nin­do empre­sas de tec­no­lo­gia com solu­ções ino­va­do­ras para o agro­ne­gó­cio e foram entre­gues o Selo Arte aos Lati­cí­ni­os Arte­sa­nal Mon­te­zu­ma, de São João da Boa Vis­ta, e Rima, de Por­to Feliz, além do cer­ti­fi­ca­do do Ser­vi­ço de Ins­pe­ção de São Pau­lo (SISP) Arte­sa­nal, à Quei­ja­ria San­ta Vito­ria, de Queluz.