Fundação Zoetis destina U$ 4,9 milhões para a formação de profissionais veterinários e produtores de leite

Entre as 20 ini­ci­a­ti­vas esco­lhi­das tam­bém foi con­tem­pla­da pela enti­da­de, a pro­pos­ta do Ins­ti­tu­to Bio­Sis­tê­mi­co (IBS), de Pira­ci­ca­ba, que vai aten­der a peque­nos pro­du­to­res do Mato Gros­so do Sul

Fundação Zoetis destina U$ 4,9 milhões para a formação de profissionais veterinários e produtores de leite

Da reda­ção

A Fun­da­ção Zoe­tis anun­ci­ou ter­ça-fei­ra, dia 13, que dis­tri­bui­rá US$ 4,9 milhões duran­te sua pri­mei­ra roda­da de doa­ções de 2022, apoi­an­do 20 ini­ci­a­ti­vas base­a­das em 19 paí­ses para tor­nar viá­veis pro­fis­sões emer­gen­tes, pecu­a­ris­tas e pro­fis­si­o­nais vete­ri­ná­ri­os, além de esfor­ços de socor­ro na Ucrânia.

No Bra­sil, a Fun­da­ção vai apoi­ar o finan­ci­a­men­to de bol­sas de estu­do na Facul­da­de de Ciên­ci­as Agrá­ri­as e Vete­ri­ná­ri­as (FCAV) da UNESP cam­pus Jabo­ti­ca­bal e na Facul­da­de de Medi­ci­na Vete­ri­ná­ria e Zoo­tec­nia da UNESP (FMVZ) cam­pus Botu­ca­tu, ambas para for­ma­ção de médi­cos veterinários.

Entre as 20 ini­ci­a­ti­vas esco­lhi­das tam­bém foi con­tem­pla­da pela enti­da­de, a pro­pos­ta do Ins­ti­tu­to Bio­Sis­tê­mi­co (IBS), de Pira­ci­ca­ba, que vai aten­der a peque­nos pro­du­to­res do Mato Gros­so do Sul.

A ini­ci­a­ti­va, deno­mi­na­da “Coo­plaf Lei­te: uma Inter­ven­ção Inten­si­va de 24 meses com 100 Fazen­das Lei­tei­ras Fami­li­a­res no Esta­do de Mato Gros­so do Sul no Bra­sil”, rece­be­rá apor­te finan­cei­ro para ações em favor do desen­vol­vi­men­to da pecuá­ria lei­tei­ra entre agri­cul­to­res fami­li­a­res asso­ci­a­dos à Coo­pe­ra­ti­va Agrí­co­la Mis­ta da Pecuá­ria de Cor­te e Lei­tei­ra e da Agri­cul­tu­ra Fami­li­ar (Coo­plaf), orga­ni­za­ção com sede no muni­cí­pio de Tere­nos, no Mato Gros­so do Sul.

Segun­do a Fun­da­ção Zoe­tis, “vete­ri­ná­ri­os, téc­ni­cos vete­ri­ná­ri­os e cri­a­do­res de gado pres­tam ser­vi­ços ines­ti­má­veis às comu­ni­da­des, cri­an­do e cui­dan­do de ani­mais para que sejam sau­dá­veis e pro­du­ti­vos. No entan­to, enfren­tam desa­fi­os imen­su­rá­veis glo­bal­men­te, des­de o aumen­to da dívi­da estu­dan­til e a fal­ta de diver­si­da­de até desa­fi­os de saú­de men­tal, incluin­do mai­o­res ris­cos de suicídio”.

A pre­si­den­te da Fun­da­ção, Jean­net­te Fer­ran Astor­ga afir­ma que pes­so­as que cui­dam dos ani­mais estão no cen­tro das aten­ções da enti­da­de. “Por isso esta­mos entu­si­as­ma­dos em finan­ci­ar orga­ni­za­ções que apre­sen­tem solu­ções ino­va­do­ras, com impac­to posi­ti­vo nas comu­ni­da­des”, disse.

Entre as 20 ini­ci­a­ti­vas con­tem­pla­das pelas doa­ções, duas estão vol­ta­das a peque­nos pro­du­to­res de lei­te, sen­do uma o pro­je­to do Ins­ti­tu­to Bio­Sis­tê­mi­co (IBS), no Mato Gros­so do Sul, e a outra, o tra­ba­lho desen­vol­vi­do pela Ugan­da Cra­ne Cre­a­me­ri­es Coo­pe­ra­ti­ve Uni­on (UCC­CU), uma coo­pe­ra­ti­va que reú­ne pro­du­to­res de lei­te do sudo­es­te da Ugan­da, que rece­be­rão assis­tên­cia téc­ni­ca para melho­rar a pro­du­ti­vi­da­de e sua pro­du­ção e renda.

As demais pro­pos­tas são vol­ta­das ao cus­teio de bol­sas de estu­do de vete­ri­ná­ria – como é o caso das duas facul­da­des bra­si­lei­ras da Unesp — e à aju­da finan­cei­ra a estu­dan­tes e à diver­si­da­de na área, além de assis­tên­cia téc­ni­ca a agri­cul­to­res visan­do a imple­men­ta­ção de prá­ti­cas de con­ser­va­ção que aju­dem a melho­rar a pro­du­ção, ao mes­mo tem­po em que pos­sam gerar bene­fí­ci­os ao meio ambiente.