Forte crescimento sustentado - Balde Branco

PRODUTIVIDADE

Forte crescimento

sustentado

Propriedade paranaense evolui em sua produção e produtividade e fica entre as maiores do País, com mais de 52 mil litros de leite/dia

Luiz H. Pitombo

Marcos Epp: Para permanecer na atividade e ter melhor geração de renda, buscamos maior volume de leite com diluição dos custos fixos

Não foram um, nem dois ou três aspec­tos iso­la­dos que deram novo impul­so à ati­vi­da­de lei­tei­ra da Agro­pe­cuá­ria Régia, mas sim um con­jun­to mai­or e arti­cu­la­do de mudan­ças pla­ne­ja­das, como expli­ca o médi­co vete­ri­ná­rio Mar­cos Epp. Ele inte­gra uma ter­cei­ra gera­ção de imi­gran­tes ale­mães e é o res­pon­sá­vel por esse setor da pro­pri­e­da­de fami­li­ar, loca­li­za­da na Colô­nia Wit­mar­sum, no muni­cí­pio de Pal­mei­ras (PR), que tam­bém pro­duz soja, milho e tri­go no inverno. 

O mar­co ini­ci­al no lei­te, que acon­te­ceu no mes­mo local onde se encon­tram hoje, se deu em 1968, com ape­nas 15 vacas Holan­de­sas pre­to-e-bran­co em lac­ta­ção, raça à qual se man­ti­ve­ram fiéis até hoje, embo­ra pra­ti­ca­men­te tudo o mais tenha se alte­ra­do para melhor, com visão, tec­no­lo­gia e assis­tên­cia técnica.

Des­de cri­an­ça, Epp gos­ta­va de estar envol­vi­do com a ati­vi­da­de e, após a con­clu­são da facul­da­de, em 1996, pas­sou a assu­mir cada vez mais a admi­nis­tra­ção da pecuá­ria de lei­te, enquan­to a pro­du­ção de grãos ficou sob a res­pon­sa­bi­li­da­de de seu pai, Mavin.

Um momen­to impor­tan­te rumo ao pata­mar atu­al ocor­reu há cer­ca de dez anos, quan­do a pro­du­ção de lei­te vinha se man­ten­do num volu­me rela­ti­va­men­te está­vel. Toman­do por refe­rên­cia as médi­as do ano de 2010, o volu­me diá­rio da pro­pri­e­da­de atin­gia 10,39 mil litros de lei­te, com vacas ren­den­do 29,85 kg de leite/dia, apre­sen­tan­do 3,38% de gor­du­ra e 3,1% de pro­teí­na, o que tota­li­za­va 1,93 kg de sóli­dos vaca/dia. O sis­te­ma de pro­du­ção ado­ta­do era mis­to, com par­te das 400 vacas em lac­ta­ção man­ti­das con­fi­na­das em free-stall e par­te em pique­tes, rece­ben­do suple­men­ta­ção no cocho.

Para continuar lendo, assine nossa revista