A força da mulher na produção de leite - Balde Branco

O empre­en­de­do­ris­mo da mulher no cam­po é, mui­tas vezes, mar­ca­do por his­tó­ri­as de cora­gem e supe­ra­ção dos desa­fi­os. E assim, con­se­guem pro­var do que são capazes

Por João Antô­nio dos Santos

A nin­guém esca­pa a pre­sen­ça cada vez mai­or da mulher em­preendedora no agro­ne­gó­cio. Em espe­ci­al, no seg­men­to da pecuá­ria lei­tei­ra. Aproveitan­do essa mudan­ça no cená­rio rural, a Nes­tlé pro­mo­veu o even­to “No Cam­po com Elas”, em Car­mo do Para­naí­ba-MG, no últi­mo dia 26 de agos­to. O encon­tro reu­niu cer­ca de 200 mulhe­res, entre pro­du­to­ras de lei­te, tra­ba­lha­do­ras rurais, agrô­no­mas, zoo­tec­nis­tas e vete­ri­ná­ri­as, no Sítio do Cedro, de pro­pri­e­da­de do casal Mário Por­to e Síl­via Fonseca.

O tema das pales­tras girou em tor­no do empo­de­ra­men­to da mulher no agro­ne­gó­cio do lei­te, sua cora­gem para enfren­tar desa­fi­os e precon­ceitos, atra­vés do rela­to de algu­mas pro­du­to­ras, per­me­a­do de his­tó­ri­as de deter­mi­na­ção e supe­ra­ção. Um dos motes do encon­tro foi a Pes­qui­sa Hábi­tos do Pro­du­tor Rural da ABM­RA-Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Mar­ke­ting Rural e Agro­ne­gó­cio, rea­li­za­da jun­to a 2.835 agro­pe­cu­a­ris­tas de 15 esta­dos. Entre os vári­os indi­ca­do­res, o estu­do apon­tou que a pre­sen­ça femi­ni­na na ges­tão dos negó­ci­os no cam­po saiu dos 10%, da últi­ma pes­qui­sa, para 31%.

O rela­tó­rio apon­ta ain­da que 49% dos entre­vis­ta­dos con­si­de­ram a par­ticipação da mulher nas deci­sões tão impor­tan­te quan­to a do homem. Esti­ma-se que mais de 4 milhões de mulhe­res têm ati­vi­da­des liga­das à área rural, atu­ando nos mais diver­sos seg­men­tos, como agri­cultoras, pecu­a­ris­tas, tra­balhadoras, vete­ri­ná­ri­as, agrô­no­mas, zoo­tec­nis­tas e diri­gen­tes, entre outros. A par­ti­ci­pa­ção da mulher no setor é tão expres­si­va que está mar­ca­do para os dias 17 e 18 de outu­bro o 2º Con­gres­so Naci­o­nal das Mulhe­res do Agrone­gócio, a ser rea­li­za­do, em São Pau­lo, no Transamé­rica Expo Center.

Na pri­mei­ra ver­são do even­to, no ano pas­sa­do, foi apre­sen­ta­da uma pes­qui­sa que mos­trou o per­fil das mu­lheres ges­to­ras no setor do agronegó­cio: esco­la­ri­da­de alta, inde­pen­dên­cia finan­cei­ra, aber­tu­ra à ino­va­ção e co­municação e visão ampla no negó­cio. O estu­do apon­tou que a par­ti­ci­pa­ção femi­ni­na repre­sen­ta 42,4% da ren­da fami­li­ar no cam­po fren­te a 40,7% que vivem na cida­de. A mai­o­ria das mu­lheres diri­gen­tes está na agri­cul­tu­ra, com 42% de par­ti­ci­pa­ção, segui­da pela pecuá­ria, com 20%.

—————————
Leia a ínte­gra des­ta maté­ria na edi­ção Bal­de Bran­co 636, de outu­bro 2017

Rolar para cima