“Inves­tir em tec­no­lo­gia, melho­rar a sani­da­de, a nutri­ção e, prin­ci­pal­men­te, aumen­tar o rigor da sele­ção gené­ti­ca do reba­nho são os pila­res des­sa evo­lu­ção”, expli­ca o cri­a­dor Ben­to Abreu Sodré de Car­va­lho Minei­ro, dire­tor da Fazen­da Sant’Anna, em Ran­cha­ria (SP), que pro­mo­ve o 30º lei­lão anu­al da pro­pri­e­da­de, dia 15 de setem­bro, com ofer­tas de ani­mais das raças Gir Lei­tei­ro POI, Brah­man POI e Nelo­re PO.

O even­to tem iní­cio às 14 horas, com trans­mis­são do Canal Ter­ra­vi­va e ofer­ta 180 repro­du­to­res, sen­do 150 tou­ros puros da raça Nelo­re e outros 30 divi­di­dos entre as raças Brah­man POI e Gir Lei­tei­ro POI. Segun­do o cri­a­dor, são exem­plos de ani­mais que res­pon­dem às neces­si­da­des da pecuá­ria moder­na, pois são sele­ci­o­na­dos total­men­te a pas­to.

O padrão raci­al dos tou­ros e carac­te­rís­ti­cas fun­ci­o­nais, sejam eles Nelo­re, Brah­man ou Gir Lei­tei­ro. Pos­suir mor­fo­lo­gia ade­qua­da é o prin­cí­pio bási­co da pro­du­ção pecuá­ria no Bra­sil.

 

PRO­DU­TO­RES DE LEI­TE BUS­CAM AGRE­GAR VALOR

Essa é uma incli­na­ção do mer­ca­do que já vem impac­tan­do as fazen­das lei­tei­ras no Bra­sil. Para aten­der a deman­da, a par­tir do plan­tel Gir Lei­tei­ro POI, a pro­pri­e­da­de lan­çou a mar­ca Par­di­nho Arte­sa­nal, cuja sede fica na Fazen­da Bela Vis­ta, em Par­di­nho (SP), uma das uni­da­des da Fazen­da Sant’Anna.

“Hoje, a meta não é pro­du­zir volu­me e, sim, qua­li­da­de. Por isso bus­ca­mos uma sele­ção vol­ta­da à pro­du­ção de sóli­dos totais, cujos resul­ta­dos sur­pre­en­dem e serão apre­sen­ta­dos no nos­so lei­lão”, rela­ta. Lei­te com ele­va­da taxa de sóli­dos ren­dem boni­fi­ca­ções aos pro­du­to­res nos lati­cí­ni­os.

Outro nicho de mer­ca­do inte­res­san­te é a alta gas­tro­no­mia, onde esse dife­ren­ci­al tam­bém se faz neces­sá­rio, até mes­mo, ren­den­do prê­mi­os à empre­sa em vári­os con­cur­sos. A mai­or con­quis­ta acon­te­ceu no Mon­di­al du Fro­ma­ge de Tours, rea­li­za­do na Fran­ça. Com seu prin­ci­pal pro­du­to, o quei­jo Cues­ta, a bra­si­lei­ra Par­di­nho Arte­sa­nal ficou com a meda­lha Supe­rou­ro, dei­xan­do para trás mar­cas de 15 outros paí­ses.

Cues­ta, Cues­ta Azul e Man­da­la são os pro­du­tos mais ven­di­dos e têm per­mis­são para serem expor­ta­dos por­que a Par­di­nho Arte­sa­nal pos­sui SIF (Ser­vi­ço de Ins­pe­ção Fede­ral). “Os tou­ros Gir Lei­tei­ro à ven­da no 30º Lei­lão Sant’Anna são filhos e irmãos das vacas que estão pro­du­zin­do esse quei­jo”, res­sal­ta Ben­to Minei­ro.

A sele­ção Gir Lei­tei­ro ini­ci­ou em 2000, mes­mo ano em que a Fazen­da Sant’Anna con­quis­tou o ISO 14001, cer­ti­fi­ca­ção ambi­en­tal con­ce­di­da pela Inter­na­ti­o­nal Orga­ni­za­ti­on for Stan­dar­di­za­ti­on, umas das mais rigo­ro­sas do mun­do. A Par­di­nho Arte­sa­nal nas­ceu em 2014.

“É uma hon­ra par­ti­ci­par des­te gran­de sal­to pro­du­ti­vo. E nes­ta edi­ção espe­ci­al de 30 anos de lei­lões da Sant’Anna, dian­te de diver­sas deman­das e mudan­ças do mer­ca­do, vivi­das até o momen­to, acre­di­to que che­ga­mos a um pro­du­to efi­ci­en­te para o pre­sen­te e o futu­ro da pecuá­ria bra­si­lei­ra”, con­clui.

Rolar para cima