Fazenda do PR monitora rebanho com a Hughesnet

Com inter­net via saté­li­te, Nel­ci Mai­nar­des acom­pa­nha eta­pas de repro­du­ção e geren­cia saú­de dos ani­mais mes­mo fora da porteira

Fazenda do interior do Paraná monitora rebanho com a HughesNet

Desde que pas­sou a con­tar com a inter­net da Hughes­Net, ser­vi­ço de ban­da lar­ga via saté­li­te vol­ta­do a resi­dên­ci­as e peque­nas empre­sas na área rural da Hughes Network Sys­tems, LLC (HUGHES), o Ran­cho Mai­nar­des revo­lu­ci­o­nou o sis­te­ma pro­du­ti­vo e os cui­da­dos com a saú­de do reba­nho. Nel­ci Mai­nar­des, pecu­a­ris­ta pro­pri­e­tá­rio do Ran­cho Mai­nar­des, jun­to aos fun­ci­o­ná­ri­os da pro­pri­e­da­de, loca­li­za­da na cida­de para­na­en­se de Cas­tro, a 160 km de Curi­ti­ba, con­se­guem ago­ra moni­to­rar — em tem­po real e de qual­quer lugar – todos os pas­sos dos ani­mais. A che­ga­da de uma inter­net de alta cober­tu­ra, ali­a­da a outras melho­ri­as, foi deter­mi­nan­te para que o ran­cho ampli­as­se em qua­se 15% a pro­du­ti­vi­da­de de lei­te nos últi­mos dois anos, atin­gin­do a mar­ca de 2,5 mil litros por dia.

O moni­to­ra­men­to do gado é fei­to por meio de um sen­sor aco­pla­do a um colar. A tec­no­lo­gia pos­si­bi­li­ta acom­pa­nhar o his­tó­ri­co do ani­mal, tra­du­zin­do algo­rit­mos em rela­tó­ri­os com o qua­dro clí­ni­co, perío­do de pre­nhez, infor­ma­ções nutri­ci­o­nais e outros dados. “Rece­bo aler­tas sobre a saú­de dos ani­mais dia­ri­a­men­te no meu celu­lar, estan­do em Curi­ti­ba, nos Esta­dos Uni­dos ou em qual­quer lugar do mun­do”, con­ta Nel­ci Mai­nar­des. “Hoje, a pro­pri­e­da­de está na nuvem”, destaca.

De acor­do com Mai­nar­des, o ran­cho já era refe­rên­cia naci­o­nal na cri­a­ção de gado da raça Jer­sey. Ain­da assim, era difí­cil apro­vei­tar todo poten­ci­al da infra­es­tru­tu­ra e qua­li­da­de gené­ti­ca supe­ri­or da fazen­da depen­den­do de um moni­to­ra­men­to manu­al, a olho nu. “Ten­ta­mos outras ope­ra­do­ras de inter­net, mas os mor­ros ao redor da fazen­da sem­pre dei­xa­ram o sinal len­to e ins­tá­vel”, rela­ta o pro­pri­e­tá­rio, des­ta­can­do que somen­te com a Hughes­Net con­se­guiu um sinal efi­ci­en­te de inter­net que alcan­ças­se o abri­go de con­fi­na­men­to dos ani­mais, que fica ao lado da resi­dên­cia prin­ci­pal do rancho.

Com a inter­net da Hughes­Net à dis­po­si­ção, é pos­sí­vel iden­ti­fi­car mais rápi­do pro­ble­mas de saú­de na mana­da pelo app de moni­to­ra­men­to. O sis­te­ma acu­sa qual­quer com­por­ta­men­to fora do comum, como exces­so de rumi­na­ção ou mui­to tem­po na posi­ção dei­ta­da. “Antes os diag­nós­ti­cos demo­ra­vam até 72 horas e hoje são detec­ta­dos pra­ti­ca­men­te no mes­mo dia”, deta­lha Mainardes.

Segun­do o pro­pri­e­tá­rio, o moni­to­ra­men­to cons­tan­te do cio, fer­ti­li­da­de e perío­do de pre­nhez dos ani­mais tam­bém trou­xe melho­ria na efi­ci­ên­cia repro­du­ti­va. Antes o ran­cho con­se­guia 50% de con­fir­ma­ções de fer­ti­li­za­ção e hoje alcan­ça até 85%.

Atu­al­men­te, dos 120 ani­mais do reba­nho, 110 são moni­to­ra­dos simul­ta­ne­a­men­te com os cola­res, con­so­li­dan­do a pro­pri­e­da­de de 200 hec­ta­res como refe­rên­cia naci­o­nal em melho­ra­men­to gené­ti­co e cri­a­ção de gado da raça Jer­sey. O ran­cho pos­sui ani­mais 100% regis­tra­dos e se des­ta­ca pelo uso de tec­no­lo­gia de pon­ta para apri­mo­rar o con­for­to ani­mal e o geren­ci­a­men­to pela equipe.

Fon­te: Asses­so­ria de comu­ni­ca­ção da HughesNet

Rolar para cima