Faixa Azul faz 80 anos e lança campanha em formato de cordel para contar sua história de tradição - Balde Branco

Na voz de Bráu­lio Bes­sa, o fil­me home­na­geia a tra­je­tó­ria do imi­gran­te ita­li­a­no Mes­tre Vito, fun­da­dor da mar­ca no país

Faixa Azul faz 80 anos e lança campanha em formato de cordel para contar sua história de tradição

A mar­ca de quei­jos Fai­xa Azul, reco­nhe­ci­da naci­o­nal e inter­na­ci­o­nal­men­te pelo seu tra­di­ci­o­nal par­me­são, com­ple­ta 80 anos. Para cele­brar o momen­to e refor­çar sua tra­di­ção no Bra­sil, ela lan­ça uma cam­pa­nha que con­ta a sua his­tó­ria e de seu famo­so quei­jo par­me­são, com des­ta­que para a tra­je­tó­ria do imi­gran­te ita­li­a­no mes­tre Vito. A comu­ni­ca­ção foi cri­a­da pela SunsetDDB.

A his­tó­ria de Fai­xa Azul come­çou em 1940, quan­do Mes­tre Vito desem­bar­cou no país tra­zen­do de Par­ma, na Itá­lia, uma recei­ta de famí­lia do par­me­são. A cida­de de São Gon­ça­lo do Sapu­caí, em Minas Gerais, foi o local esco­lhi­do para o iní­cio da pro­du­ção do quei­jo, que logo con­quis­tou o pala­dar da região e, depois, do Bra­sil. Fai­xa Azul foi a pri­mei­ra mar­ca de par­me­são pro­du­zi­do em esca­la indus­tri­al e até hoje man­tém sua recei­ta ori­gi­nal e aca­ba­men­to artesanal.

Para res­sal­tar sua regi­o­na­li­da­de e for­te pre­sen­ça bra­si­lei­ra, a mar­ca esco­lheu a lite­ra­tu­ra de cor­del para sua comu­ni­ca­ção. No fil­me, o poe­ta Bráu­lio Bes­sa é quem decla­ma a his­tó­ria do imi­gran­te que cri­ou o quei­jo de sabor, tex­tu­ra e carac­te­rís­ti­cas úni­cas. A arte­sa­na­li­da­de do par­me­são, pre­sen­te por meio de sua recei­ta ori­gi­nal e de sua fai­xa azul, até hoje pin­ta­da à mão no pro­du­to, é refor­ça­da pela lin­gua­gem visu­al do vídeo, fei­to intei­ro com ilus­tra­ções que se asse­me­lham a uma pin­tu­ra viva da jor­na­da da marca.

“Fai­xa Azul é uma mar­ca mui­to tra­di­ci­o­nal, que é sinô­ni­mo de quei­jo par­me­são no país e, por isso, mui­to admi­ra­da. Temos mui­to orgu­lho des­ses 80 anos e qui­se­mos com­par­ti­lhar esse sen­ti­men­to com o res­tan­te dos bra­si­lei­ros. A cam­pa­nha foi uma for­ma poé­ti­ca e espe­ci­al que encon­tra­mos para home­na­ge­ar essa his­tó­ria”, comen­ta Edu­ar­do Jakus, Dire­tor de Negó­ci­os de Fai­xa Azul. O exe­cu­ti­vo refor­ça ain­da que a cre­di­bi­li­da­de de seu pro­du­to car­ro-che­fe se esten­de para os demais quei­jos da mar­ca, que ofe­re­ce um port­fó­lio vari­a­do, com os tipos brie, camem­bert, emmen­tal, gruyè­re, gou­da e gor­gon­zo­la. “Há alguns anos lan­ça­mos uma linha com­ple­ta de quei­jos espe­ci­ais, usan­do nos­sa exper­ti­se para ofe­re­cer mais opções aos nos­sos con­su­mi­do­res. Somos a mar­ca dos melho­res quei­jos e esses 80 anos refle­tem nos­sa tra­je­tó­ria de qua­li­da­de”, refor­ça ele.
Fon­te: Asses­so­ria de Comu­ni­ca­ção da Fai­xa Azul
Rolar para cima