Exportação de sêmen de gado leiteiro duplica - Balde Branco

A expor­ta­ção de sêmen de gado lei­tei­ro dobrou no Bra­sil nos últi­mos dois anos. Os dados foram divul­ga­dos pela Asbia-Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Inse­mi­na­ção Arti­fi­ci­al e refe­rem-se ao com­pa­ra­ti­vo entre o 1º semes­tre de 2014, quan­do foram expor­ta­das mais de 42 mil doses, com o mes­mo perío­do des­te ano (84,6 mil doses). Só em 2015, a expan­são foi de 32%. O esta­do que mais inves­tiu em gené­ti­ca foi Minas Gerais, com 32% de ven­das, segui­do do Rio Gran­de do Sul, com 16%.

Ao con­trá­rio do movi­men­to regis­tra­do na expor­ta­ção, a pes­qui­sa reve­lou que­da de 41% na impor­ta­ção de sêmen no últi­mo semes­tre. Foram 1.127.760 doses impor­ta­das nos pri­mei­ros seis meses de 2016 fren­te ao mes­mo perío­do de 2015, quan­do foram impor­ta­das 1.917.997 doses.

Na pro­du­ção, que repre­sen­ta a tota­li­da­de da cole­ta e indus­tri­a­li­za­ção de sêmen rea­li­za­do pelas cen­trais pro­du­to­ras para esto­que, o total pro­du­zi­do de sêmen no 1º semes­tre de 2016 foi de 355 mil doses. Tam­bém repre­sen­ta uma retra­ção, já que no mes­mo perío­do de 2015, foram pro­du­zi­das 530 mil, segun­do a Asbia.

 

 

 

 

Rolar para cima