Embrapa inaugura ponte entre startups e gigantes do mercado - Balde Branco

Lan­ça­men­to de Silo — Ino­va­ção Aber­ta é um mar­co na cadeia pro­du­ti­va do leite

 
 

Embrapa inaugura ponte entre startups e gigantes do mercado 

 

A Embra­pa Gado de Lei­te e par­cei­ros da ini­ci­a­ti­va pri­va­da estão se pre­pa­ran­do para lan­çar no dia 27 de agos­to, às 10h, o Silo — Ino­va­ção Aber­ta, um hub que pre­ten­de inau­gu­rar uma nova fron­tei­ra na pes­qui­sa cien­tí­fi­ca da cadeia pro­du­ti­va lei­tei­ra. O even­to, que con­ta­rá com trans­mis­são ao vivo pelo canal ofi­ci­al da Embra­pa no You­tu­be, terá como foco o lan­ça­men­to do pro­je­to e tam­bém de uma série de ino­va­ções imple­men­ta­das no Cam­po Expe­ri­men­tal de Coro­nel Pacheco.

O Silo é fru­to de uma par­ce­ria públi­co-pri­va­da entre Embra­pa e algu­mas gigan­tes do mer­ca­do como Micro­soft, TIM Bra­sil, Nes­tlé do Bra­sil, Bel­go Beka­ert, IS Bra­sil, além da Orga­ni­za­ção das Coo­pe­ra­ti­vas Bra­si­lei­ras (OCB) e a ace­le­ra­do­ra cor­po­ra­ti­va Neo Ven­tu­res. Sua cri­a­ção se pau­ta na bus­ca por solu­ções para o agro­ne­gó­cio bra­si­lei­ro, por meio de Ino­va­ção Aber­ta, reu­nin­do com­pe­tên­ci­as cola­bo­ra­ti­vas de empre­sas e ins­ti­tui­ções, para gerar impac­to zero em ter­mos de emis­são de gases do efei­to estu­fa, para redu­zir as desi­gual­da­des soci­ais em todas as suas dimen­sões e para asse­gu­rar ganhos econô­mi­cos aos sta­kehol­ders envol­vi­dos com a pro­du­ção de ali­men­tos, ener­gia e fibras.

“Nenhu­ma gran­de empre­sa faz ino­va­ção hoje em dia. Uma gran­de empre­sa tem tan­tos con­tro­les que ela mata a ino­va­ção. Por isso, ela tem que con­tra­tar jovens que pen­sam fora da cai­xa”, expli­ca o che­fe geral da Embra­pa, Pau­lo Mar­tins. O hub de ino­va­ção per­mi­ti­rá a cone­xão de star­tups com empre­sas líde­res de tec­no­lo­gia da infor­ma­ção e comu­ni­ca­ção, uma ace­le­ra­do­ra, agen­tes do agro­ne­gó­cio, inves­ti­do­res e todo o cor­po téc­ni­co da Embra­pa Gado de Lei­te, além das melho­res uni­ver­si­da­des brasileiras.

“Um dos exem­plos de apli­ca­bi­li­da­de do Silo é o da Nes­tlé do Bra­sil. A orga­ni­za­ção tem o com­pro­mis­so glo­bal de neu­tra­li­zar as emis­sões de car­bo­no de suas ope­ra­ções até 2050. Como a Nes­tlé vai levar seus pro­du­tos para a casa das pes­so­as emi­tin­do car­bo­no zero? As star­tups estão aí para encon­trar essas solu­ções e o Silo é a gran­de pon­te entre as par­tes”, escla­re­ce Pau­lo do Car­mo Martins. 

Como vai funcionar?

O pri­mei­ro pas­so do pro­ces­so é o chal­len­ge, segui­do de um workshop para levan­ta­men­to de desa­fi­os e dores inter­nas da empre­sa, evo­luin­do para a eta­pa de cate­go­ri­za­ção e pri­o­ri­za­ção das situ­a­ções levan­ta­das. A par­tir des­sas infor­ma­ções, é rea­li­za­da uma cha­ma­da públi­ca para a apre­sen­ta­ção de rotas de solu­ção para os desa­fi­os pro­pos­tos, segui­da de um hun­ting fei­to com base no ban­co de dados da Neo Ventures.

É fei­ta então uma tri­a­gem bus­can­do as três melho­res rotas de solu­ções apre­sen­ta­das e, pos­te­ri­or­men­te, um boot­camp, para o refi­na­men­to da solu­ção entre a star­tup e a empre­sa. Na sequên­cia, é desen­vol­vi­da uma POC (Pro­va de Con­cei­to) para veri­fi­ca­ção da via­bi­li­da­de da solu­ção. Em caso de vali­da­ção, o negó­cio é fecha­do entre a star­tup e a empre­sa deman­dan­te. Nes­te pon­to do pro­je­to, exis­tem pos­si­bi­li­da­des de com­par­ti­lha­men­to de resul­ta­dos duran­te a tra­je­tó­ria de desen­vol­vi­men­to e da comer­ci­a­li­za­ção com as empre­sas par­ti­ci­pan­tes da ini­ci­a­ti­va (Roadshow).

Na reta final, são exe­cu­ta­das as eta­pas de ace­le­ra­ção, com indi­ca­ção de star­tups para o pro­gra­ma de ace­le­ra­ção do Silo, e de men­to­ri­as com a par­ti­ci­pa­ção ati­va no pro­ces­so de desen­vol­vi­men­to das star­tups indi­ca­das. Fecham a cadeia do pro­gra­ma de ino­va­ção às eta­pas de inves­ti­men­to, na qual é pos­sí­vel apli­car recur­sos nas star­tups, e a da colhei­ta dos resul­ta­dos e solu­ções desenvolvidas.

Fazen­da 4.0

Além da inau­gu­ra­ção do Silo, loca­li­za­do na sede da Embra­pa Gado de Lei­te em Juiz de Fora em uma uni­da­de com 1.400 m² de área, tam­bém ocor­re­rá o lan­ça­men­to de uma série de ino­va­ções tec­no­ló­gi­cas ins­ta­la­das no Cam­po Expe­ri­men­tal de Coro­nel Pache­co. As ins­ta­la­ções com­põem con­cei­tu­al­men­te a  “Fazen­da 4.0” — deri­va­do de Indús­tria 4.0 — que per­mi­ti­rão ao com­ple­xo abri­gar os ins­tru­men­tos neces­sá­ri­os para os tra­ba­lhos de pes­qui­sa do hub.

 Entre as novi­da­des estão as qua­tro info­vi­as de cabos de fibra óti­ca, que cor­tam todo o Cam­po Expe­ri­men­tal, em um total de 9 km, cujos sinais difun­dem nas áre­as de expe­ri­men­tos por meio de ante­nas de wire­less.  Sob a óti­ca da inter­net das Coi­sas (IoT), o pro­je­to ele­va a pes­qui­sa para uma outra dimen­são ao tor­nar digi­tais os pro­je­tos de pes­qui­sa rela­ci­o­na­dos à for­ra­gei­ras e aos plan­ti­os de grãos, além de pos­si­bi­li­tar a expan­são dos expe­ri­men­tos com máqui­nas, ani­mais no cam­po e a inte­ra­ção des­tes com as plantas.

 Outros dois lan­ça­men­tos agen­da­dos para o dia são o das pla­cas foto­vol­tai­cas, que ali­men­ta­rão o pri­mei­ro e úni­co Com­post Barn ins­ta­la­do em ambi­en­te de pes­qui­sa do país, e a pri­mei­ra cer­ca de Bios­se­gu­ri­da­de em pro­du­ção de lei­te, fixa­da no entor­no do composto.

Cli­que aqui para a live

 

Fon­te: Embra­pa Gado de Leite

Rolar para cima