Embrapa e Lactalis estudam parceria - Balde Branco

O che­fe-geral da Embra­pa Gado de Lei­te, Pau­lo do Car­mo Mar­tins, afir­ma que a Lac­ta­lis, res­pon­sá­vel pela cap­ta­ção de 20,1 bilhões de lei­tes no mun­do, está se tor­nan­do, rapi­da­men­te, um dos mai­o­res con­glo­me­ra­dos de pro­du­ção de lác­te­os do Brasil

Embrapa e Lactalis estudam parceria no desenvolvimento da pecuária leiteira nacional

Por Rubens Nei­va — Depar­ta­men­to de Comu­ni­ca­ção Orga­ni­za­ci­o­nal da Embra­pa Gado de Leite

Em live da qual par­ti­ci­pa­ram ges­to­res da Lac­ta­lis e pes­qui­sa­do­res e ana­lis­tas da Embra­pa, as empre­sas anun­ci­a­ram inte­res­se em par­ce­ria para enfren­tar os prin­ci­pais gar­ga­los da pro­du­ção de lei­te no Bra­sil: pro­du­ti­vi­da­de, qua­li­da­de, sani­da­de e pro­du­ção res­pon­sá­vel.  Segun­do Armin­do Neto, res­pon­sá­vel pela cap­ta­ção de lei­te da Lac­ta­lis, a soma dos esfor­ços das ins­ti­tui­ções pode fazer com que o país se tor­ne expor­ta­dor de lác­te­os. “A Lac­ta­lis tem a pre­ten­são de trans­for­mar o Bra­sil em hub de expor­ta­ção para toda a Amé­ri­ca Lati­na”, diz Neto.

O che­fe-geral da Embra­pa Gado de Lei­te, Pau­lo do Car­mo Mar­tins, afir­ma que a Lac­ta­lis, res­pon­sá­vel pela cap­ta­ção de 20,1 bilhões de lei­tes no mun­do, está se tor­nan­do, rapi­da­men­te, um dos mai­o­res con­glo­me­ra­dos de pro­du­ção de lác­te­os do Bra­sil. “Embo­ra o nome ‘Lac­ta­lis” seja pou­co conhe­ci­do pelo con­su­mi­dor, a empre­sa é res­pon­sá­vel por mar­cas tra­di­ci­o­nais como Itam­bé, Par­ma­lat, Coto­chês, Bata­vo, Ele­gê, Poços de Cal­das, Du Bom, Boa Nata e Pre­si­den­te, pos­suin­do gran­de capi­la­ri­da­de na pecuá­ria de lei­te naci­o­nal”, diz. Ain­da segun­do Mar­tins, a par­ce­ria entre as ins­ti­tui­ções terá como obje­ti­vo o trei­na­men­to de téc­ni­cos e a rea­li­za­ção de pales­tras a pro­du­to­res, além do desen­vol­vi­men­to de conhe­ci­men­to em conjunto.

“Entre outas temas, ire­mos focar no bem-estar ani­mal e em ques­tões ambi­en­tais, sob a óti­ca do ‘ESG’, garan­tin­do as boas prá­ti­cas de pro­du­ção que asse­gu­rem cui­da­dos com o meio ambi­en­te e com a soci­e­da­de”, diz Mar­tins. “ESG” é a sigla em inglês para Envi­ron­men­tal, Soci­al and cor­po­ra­te Gover­nan­ce. Tra­du­zi­da como gover­nan­ça ambi­en­tal, soci­al e cor­po­ra­ti­va, refe­re-se aos três fato­res cen­trais na medi­ção da sus­ten­ta­bi­li­da­de e do impac­to soci­al de um inves­ti­men­to ou negó­cio. A aná­li­se des­ses cri­té­ri­os aju­da a deter­mi­nar melhor o desem­pe­nho futu­ro das empresas.

Par­ce­ria – Neto apre­sen­tou aos pes­qui­sa­do­res e ana­lis­tas da Embra­pa alguns pro­je­tos de incen­ti­vo ao pro­du­tor ado­ta­dos na empre­sa, cuja par­ti­ci­pa­ção da Embra­pa seria oportuna:

- Pro Lei­te — pro­gra­ma de acom­pa­nha­men­to do cus­to de pro­du­ção nas fazendas;

- Pro Qua­li — paga­men­to do lei­te por qua­li­da­de, com visi­tas a cam­po para melho­ria dos resultados;

- Mais Lei­te — pro­gra­ma de incen­ti­vo ao aumen­to da pro­du­ção via boni­fi­ca­ção extra do leite;

- Meio Ambi­en­te — pro­du­ção com redu­ção na emis­são de CO2;

- Bem-estar Ani­mal — ado­ção de boas prá­ti­cas e pro­gra­mas de cer­ti­fi­ca­ção nas propriedades;

- Reci­cla­gem — Logís­ti­ca rever­sa de embalagens.

Glo­bal e Local – Mai­or gru­po de lác­te­os do mun­do, a Lac­ta­lis tem 47% de par­ti­ci­pa­ção no mer­ca­do euro­peu, 24% nas Amé­ri­cas, 13% na Áfri­ca e 16% na o Oce­a­nia. No entan­to, é defi­ni­da por Neto como uma empre­sa “glo­cal” (glo­bal + local). “Somos um gru­po inter­na­ci­o­nal que leva em con­ta as rea­li­da­des locais”, afir­ma. Um exem­plo dis­so é que não exis­te nenhu­ma mar­ca de lác­te­os com o nome Lac­ta­lis. Quan­do o gru­po adqui­re um lati­cí­nio, pre­ser­va sua mar­ca, como acon­te­ceu com a Itam­bé, Poços de Cal­das, Coto­chês etc, no Brasil.

  Empre­sa fami­li­ar, foi fun­da­da a 85 anos na Fran­ça, tor­nan­do-se a “Núme­ro 1” em quei­jos naque­le país. Seu pri­mei­ro pro­du­to foi a linha de quei­jos “Pré­si­dent”, ven­di­da hoje em 160 paí­ses. A empre­sa pre­ser­va sua tra­di­ção quei­jei­ra, com os quei­jos sen­do res­pon­sá­veis por 35% do fatu­ra­men­to. Neto afir­ma que os pro­du­tos fei­tos no Bra­sil têm poten­ci­al de expor­ta­ção para toda a Amé­ri­ca Lati­na. Ele con­clui afir­man­do que a ambi­ção da Lac­tlis é desen­vol­ver a voca­ção expor­ta­do­ra para os lác­te­os bra­si­lei­ros, apro­vei­tan­do o poten­ci­al do par­que fabril naci­o­nal, o amplo port­fó­lio e a for­ça das marcas.

 
Rolar para cima