Embrapa e Boehringer Ingelheim criam protocolos de biosseguridade em parceria - Balde Branco

Ins­ti­tui­ções pre­ten­dem tam­bém cri­ar cur­sos que pos­si­bi­li­tem cer­ti­fi­car pro­pri­e­da­des em biosseguridade

Embrapa e Boehringer Ingelheim irão desenvolver protocolos de biosseguridade para fazendas leiteiras

Por Rubens Nei­va — Depar­ta­men­to de Comu­ni­ca­ção Orga­ni­za­ci­o­nal Embra­pa Gado de Leite

A Embra­pa e a Boeh­rin­ger Inge­lheim, que desen­vol­ve medi­ca­men­tos vete­ri­ná­ri­os, assi­na­ram um con­tra­to de par­ce­ria que visa o desen­vol­vi­men­to de pro­to­co­los de bios­se­gu­ri­da­de em fazen­das de lei­te. As equi­pes de pes­qui­sa­do­res e ana­lis­tas das duas empre­sas estão desen­vol­ven­do pro­to­co­los que asse­gu­rem pro­te­ção para os reba­nhos e os tra­ba­lha­do­res, como o con­tro­le da ocor­rên­cia de doen­ças nos reba­nhos. Essa ini­ci­a­ti­va iné­di­ta visa pro­mo­ver a segu­ran­ça do ali­men­to que che­ga até na mesa do consumidor.

Para o che­fe-adjun­to de Trans­fe­rên­cia de Tec­no­lo­gia da Embra­pa Gado de Lei­te, Bru­no Car­va­lho, os pro­to­co­los irão defi­nir o mane­jo cor­re­to das dife­ren­tes cate­go­ri­as de ani­mais de um reba­nho, que cons­ti­tu­em o pon­to sen­sí­vel no pro­ces­so pro­du­ti­vo, como bezer­ras, novi­lhas e vacas em produção.

“Cada uma des­sas cate­go­ri­as deman­da pro­ce­di­men­tos espe­cí­fi­cos de mane­jo, como por exem­plo, man­tê-los iso­la­dos de ani­mais domés­ti­cos e sel­va­gens”, diz Car­va­lho. Segun­do ele, tam­bém serão defi­ni­dos padrões para o aces­so de pes­so­as e veí­cu­los nas pro­pri­e­da­des. “As fazen­das lei­tei­ras do pós-pan­de­mia devem se pre­o­cu­par com ques­tões sani­tá­ri­as, man­ten­do insu­mos e pes­so­as que entram nas áre­as pro­du­ti­vas devi­da­men­te higienizados”.

O mes­mo deve ocor­rer com a aqui­si­ção de ani­mais, quan­do cui­da­dos extras terão que ser toma­dos: “É neces­sá­rio uti­li­zar qua­ren­te­ná­ri­os, rea­li­zar tes­tes soro­ló­gi­cos e labo­ra­to­ri­ais antes da entra­da dos ani­mais no reba­nho”. Tudo isso, segun­do Car­va­lho, irá asse­gu­rar mai­or sani­da­de às pro­pri­e­da­des lei­tei­ras, con­tro­lan­do ou erra­di­can­do uma série de doen­ças que podem infec­tar tan­to o gado quan­to as pessoas.

Os pro­to­co­los cri­a­dos por pes­qui­sa­do­res e ana­lis­tas da Embra­pa e da Boeh­rin­ger Inge­lheim serão vali­da­dos nas Fazen­das Colo­ra­do e San­ta Luzia. As duas pro­pri­e­da­des são refe­rên­cia no setor e pro­du­zem, jun­tas, cer­ca de 120 mil litros por dia. Elas serão as pri­mei­ras pro­pri­e­da­des a rece­ber esta cer­ti­fi­ca­ção em bios­se­gu­ri­da­de. Com os pro­to­co­los cri­a­dos e ado­ta­dos, as fazen­das par­cei­ras serão refe­rên­ci­as tec­no­ló­gi­cas em bios­se­gu­ri­da­de e tan­to Embra­pa quan­to Boeh­rin­ger Inge­lheim ofe­re­ce­rão cur­sos para téc­ni­cos e pro­du­to­res inte­res­sa­dos em ade­rir às prá­ti­cas de bios­se­gu­ri­da­de recomendadas.

O Che­fe-adjun­to de Pes­qui­sa e Desen­vol­vi­men­to da Embra­pa Gado de Lei­te, Pedro Arcu­ri, expli­ca que os pro­to­co­los de bios­se­gu­ri­da­de irão pre­en­cher uma lacu­na que ganhou urgên­cia em tem­pos de pan­de­mia e mar­ca um novo modo de fazer pes­qui­sa: “Ire­mos entre­gar ao Bra­sil uma con­tri­bui­ção que está sen­do cons­truí­da sob o con­cei­to de Ino­va­ção Aber­ta, ou seja, jun­tan­do as com­pe­tên­ci­as das equi­pes da Embra­pa e da Boeh­rin­ger Ingelheim”.

“A ado­ção de pro­to­co­los de bios­se­gu­ri­da­de tra­rá impac­tos posi­ti­vos nas áre­as ambi­en­tal, soci­al e econô­mi­ca”, diz o che­fe-geral da Embra­pa Gado de Lei­te, Pau­lo do Car­mo Mar­tins. Ele com­ple­ta: “Com pro­to­co­los de bios­se­gu­ri­da­de imple­men­ta­dos, have­rá redu­ção do uso de medi­ca­men­tos e, con­se­quen­te­men­te, dos seus resí­du­os; além da pro­te­ção da saú­de dos tra­ba­lha­do­res e a garan­tia de pro­du­ção de um ali­men­to segu­ro”. Com a agre­ga­ção de valor ao lei­te, con­fe­ri­do pela cer­ti­fi­ca­ção, além da redu­ção nos cus­tos de pro­du­ção, have­rá ain­da um impac­to posi­ti­vo na recei­ta da propriedade.

 
Rolar para cima