Dispositivo liberador de progesterona da Bimeda amplia a concentração do hormônio em vacas, indica estudo - Balde Branco

Um estu­do sobre o Bipro­gest, orga­ni­za­do pela Bio­tran com a fina­li­da­de de deter­mi­nar a quan­ti­da­de resi­du­al da pro­ges­te­ro­na nos ani­mais, con­tou com 18 fême­as bovi­nas mes­ti­ças, sen­do nove novi­lhas (322 a 375kg) e nove vacas (388 a 512kg)

 
 
 

Dispositivo liberador de progesterona da Bimeda amplia a concentração do hormônio em vacas, indica estudo 

A repro­du­ção bovi­na é um pro­ces­so que requer aten­ção e que pode ser oti­mi­za­do com estra­té­gi­as dire­ci­o­na­das a fim de que o bem-estar ani­mal seja pre­ser­va­do ao mes­mo tem­po em que se melho­ra o desem­pe­nho repro­du­ti­vo. Para aju­dar nes­se pro­ces­so, a Bime­da, empre­sa com vas­ta expe­ri­ên­cia na fabri­ca­ção, dis­tri­bui­ção e comer­ci­a­li­za­ção de pro­du­tos far­ma­cêu­ti­cos vete­ri­ná­ri­os e pro­du­tos para saú­de ani­mal, desen­vol­veu uma solu­ção ade­qua­da para apri­mo­rar a repro­du­ção bovi­na nas fazendas.

“O Bipro­gest, dis­po­si­ti­vo intra­va­gi­nal em for­ma de T des­ti­na­do a bovi­nos, tem a fun­ção de regu­lar o ciclo estral em bovi­nos, auxi­li­an­do na apli­ca­ção de pro­gra­mas de inse­mi­na­ção arti­fi­ci­al em tem­po fixo (IATF), pro­gra­mas de supe­ro­vu­la­ção de doa­do­ras em tem­po fixo (TETF) e sin­cro­ni­za­ção de recep­to­ras”, , afir­ma Rodri­go Da Cruz Cos­ta San­tos, geren­te de pro­du­to da Bimeda.

Um estu­do sobre o Bipro­gest, orga­ni­za­do pela Bio­tran com a fina­li­da­de de deter­mi­nar a quan­ti­da­de resi­du­al da pro­ges­te­ro­na nos ani­mais, con­tou com 18 fême­as bovi­nas mes­ti­ças, sen­do nove novi­lhas (322 a 375kg) e nove vacas (388 a 512kg). Nelas, foi ana­li­sa­da a cur­va de libe­ra­ção de pro­ges­te­ro­na de um dis­po­si­ti­vo intra­va­gi­nal (DIV) con­ten­do 1,25g de prin­cí­pio ati­vo em três uti­li­za­ções con­se­cu­ti­vas em fême­as sem pro­ges­te­ro­na endógena. 

Nos três usos de Bipro­gest, hou­ve aumen­to nas con­cen­tra­ções de pro­ges­te­ro­na endó­ge­na nas fême­as, vis­to que, em todos os casos, as con­cen­tra­ções, 12 horas após a inser­ção, foram supe­ri­o­res às obser­va­das ime­di­a­ta­men­te antes da inserção.

De for­ma seme­lhan­te, a que­da nas con­cen­tra­ções após a remo­ção do Bipro­gest tam­bém foi rápi­da. “Nos dife­ren­tes usos, a con­cen­tra­ção de pro­ges­te­ro­na, 12 horas após a remo­ção, foi infe­ri­or àque­las obser­va­das ime­di­a­ta­men­te antes da remo­ção do dis­po­si­ti­vo, efei­to que é espe­ra­do e dese­ja­do para que a fêmea pos­sa ovu­lar devi­do à bai­xa con­cen­tra­ção de pro­ges­te­ro­na endó­ge­na”, expli­ca o gerente.

Influên­cia da mas­sa cor­po­ral da fêmea 

No estu­do da Bio­tran, foi cons­ta­ta­do, tam­bém, que a mas­sa cor­po­ral dos ani­mais inter­fe­re na con­cen­tra­ção de pro­ges­te­ro­na cir­cu­lan­te pro­por­ci­o­na­da pelo dis­po­si­ti­vo. Em fême­as de mai­or mas­sa, a pro­ges­te­ro­na dilui mais, pro­por­ci­o­nan­do meno­res con­cen­tra­ções. Con­se­quen­te­men­te, o desem­pe­nho repro­du­ti­vo tam­bém é influ­en­ci­a­do pela mas­sa da fêmea.

O per­fil de libe­ra­ção é seme­lhan­te em ani­mais de dife­ren­tes mas­sas cor­po­rais. Porém, exis­te efei­to des­ta con­di­ção nas con­cen­tra­ções de pro­ges­te­ro­na. “Iden­ti­fi­ca­mos no estu­do que, em ani­mais de menor mas­sa cor­po­ral (novi­lhas), as con­cen­tra­ções são nume­ri­ca­men­te supe­ri­o­res em todos os dias de colhei­ta, de 12 a 192 horas”, pon­tua Santos. 

Após cada uso, os dis­po­si­ti­vos foram iden­ti­fi­ca­dos, lava­dos com água, secos na som­bra e arma­ze­na­dos em sacos plás­ti­cos até a aná­li­se da quan­ti­da­de res­tan­te de pro­ges­te­ro­na no pro­du­to. O teor abso­lu­to de pro­ges­te­ro­na rema­nes­cen­te em rela­ção à quan­ti­da­de ori­gi­nal (1,25g) foi de 0,78g após o pri­mei­ro uso, 0,52g após a segun­da uti­li­za­ção e 0,26g ao final do ter­cei­ro uso.

“Os resul­ta­dos mos­tram que, quan­to mai­or a con­cen­tra­ção ini­ci­al, mai­or a per­da abso­lu­ta e per­cen­tu­al de pro­ges­te­ro­na no dis­po­si­ti­vo Bipro­gest”, fina­li­za o geren­te de pro­du­to da Bimeda.

Fon­te: Asses­so­ria de Comu­ni­ca­ção da Bimeda

Rolar para cima