De volta ao leite com toda a força - Balde Branco

Pro­pri­e­da­de que já teve mar­ca de lei­te tipo A vol­ta à ati­vi­da­de em alta esca­la com gené­ti­ca pró­pria de Giro­lan­do e pas­to irri­ga­do. Tam­bém faz par­te do pro­je­to a pro­du­ção de embriões

Por Luiz H. Pitombo

A famí­lia Can­to Por­to tem raí­zes na cida­de de Mogi Mirim, cer­ca de 170 km a Noro­es­te da capi­tal pau­lis­ta, no mes­mo municí­pio em que no iní­cio da déca­da de 1980 adqui­riu a Fazen­da São Fran­cis­co. A pro­pri­e­da­de pas­sou por dife­ren­tes fases até che­gar ao seu atu­al pro­je­to de pro­du­ção de lei­te a pas­to e comer­ci­a­li­za­ção de embriões de fecun­da­ção in vitro (Fiv) das raças Gir e Giro­lan­do, o que come­çou há qua­tro anos.

Este tra­ba­lho ganhou importan­te estí­mu­lo com a recen­te apro­va­ção do Mapa-Minis­té­­rio da Agri­cul­tu­ra, Pecuá­ria e Abas­tecimento para a expor­ta­ção de ge­nética, com aspi­ração de oóci­tos e sua sele­ção em labo­ra­tó­rio pró­prio e pro­du­ção dos em­­briões pela empre­sa In Vitro Bra­sil, que tem sede na pro­pri­e­da­de (veja o box). Já exis­tem inte­res­sa­dos na Áfri­ca para a com­pra de 3 mil embriões e outros mil para a Índia, estes, uni­ca­men­te de Gir PO sele­ci­o­na­do para lei­te no Bra­sil. Os pla­nos igual­men­te con­tem­plam a expor­ta­ção para paí­ses da Amé­ri­ca do Sul.

A pro­du­ção de lei­te tam­bém avan­ça com o iní­cio das obras de terraple­nagem para a implan­ta­ção de um sis­te­ma de pro­du­ção a pas­to irri­ga­do por pivôs para 1.400 vacas Girolan­do ¾ em lac­ta­ção na Fazen­da San­to Antô­nio, a ape­nas 20 km da São Fran­cis­co. Nes­ta últi­ma, a pro­du­ção diá­ria atu­al é de 7 mil litros de lei­te, que se soma­rão a outros 35 mil do novo pro­je­to, volu­me pre­vi­são para até 2023.

A pro­du­ção lei­teira na São Fran­cisco não é novi­dade e já con­tou antes com um pro­je­to bem dife­ren­te, ins­ta­la­do após a pro­pri­e­da­de ser ad­quirida por Antô­nio Car­los Can­to Por­to Filho, o Totó, como é mais conhe­ci­do. Eco­no­mis­ta de for­ma­ção e sócio do Ban­co BTG Pac­tu­al, ele optou na oca­sião pela pro­du­ção de lei­te em sis­te­ma de free-stall com vacas da raça Holan­desa, lan­çan­do pos­te­ri­or­men­te a mar­ca Forty de lei­te tipo A, quan­do atin­giu o volu­me diá­rio de 12 mil litros. O negó­cio foi inter­rom­pi­do e o plan­tel foi liqui­da­do em 2002 por difi­cul­da­des de escoamen­to jun­to ao comér­cio varejista.

————————–
Leia a ínte­gra des­ta maté­ria na edi­ção Bal­de Bran­co 638, de dezem­bro 2017

Rolar para cima